• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 43 minutos 27 segundos atrás

Titular da Sectet participa de reunião do Fórum de Instituições de Ensino Superior e Pesquisa do Pará

ter, 22/01/2019 - 14:23
22/01/2019

Na manhã desta terça-feira, 22, o Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará realizou reunião extraordinária que contou com a participação do novo titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Edilson de Almeida Maneschy. O encontro, que ocorreu na sede da Sectet, teve o objetivo reafirmar a importância do diálogo constante entre as instituições e o Governo do Pará, além de apresentar alguns questionamentos para a nova gestão.

Dessa forma, o reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), que também preside o Fórum, Emmanuel Tourinho, destacou como uma das principais dificuldades das instituições a ausência de uma política mais efetiva de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) que garanta o financiamento regular para a área. Ele cobrou ainda que os dois entes que respondem por tal política (Sectet e Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas – Fapespa) atuem de maneira mais integrada.

Diante disso, Maneschy ressaltou que já está atuando para tal integração, de maneira que, neste primeiro momento, está acumulando os cargos de titular da Secretaria e presidente da Fapespa a fim de garantir tal consonância. Por outro lado, quanto à existência de uma fonte regular de financiamento, o Secretário solicitou o apoio das instituições  no sentido de incentivarem a aprovação, pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), do projeto de lei que propõe a destinação de pelo menos 20% da parcela da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) para ações relativas ao desenvolvimento científico e tecnológico.

Carlos Maneschy lembrou que, para o Estado, é absolutamente estratégico o avanço da pesquisa no sentido de fazer com que, em primeiro lugar, formem-se cada vez mais profissionais com qualificação suficiente para fazer com que ciência, tecnologia e inovação estejam presentes na vida das pessoas, mudando a vida delas para melhor. Ele explicou que essa compreensão é importante porque se parte de um pressuposto que, para um estado como o Pará, cuja vocação econômica tem sido baseada em produção de matéria prima, é necessário fazer a mudança da base produtiva com base no conhecimento.

“Para isso as Instituições de Ensino e Pesquisa são indispensáveis, já a Secretaria e o Governo como um todo devem ser um elemento facilitador para criar o ambiente adequado para que isso possa ser promovido de maneira mais rápida e com maior qualidade. Esta primeira reunião estabeleceu como o Estado pensa, quais são os passos prioritários para que possamos fazer com que CT&I seja um instrumento decisivo e indispensável para um novo momento que se quer no Pará”, explicou o Secretário.

O presidente do Fórum concorda e avaliou com muito positiva a primeira reunião com o novo Secretário. “O diálogo vai contribuir para que tenhamos uma agenda de trabalho para o desenvolvimento da CT&I no estado. Estamos satisfeitos de ter a frente da Secretaria uma pessoa experiente com gestão na área e aberta ao diálogo, capaz de realizar as ações necessárias para que nós, conjuntamente, façamos com que o Pará tenha um avanço significativo do ponto de vista científico e tecnológico, desse modo, impactando no seu desenvolvimento econômico e social”, comemorou Tourinho.

Além do titular da Sectet e do reitor da UFPA, também estiveram na reunião os representantes da Unifesspa, do IFPA, da Uepa, da Unama, do Cesupa, do Instituto Evandro Chagas e do Museu Paraense Emílio Goeldi. Também fazem parte do Fórum a Ufra, a Ufopa e a Embrapa. Também participou da reunião Juarez Quaresma, que auxilia o Secretário Carlos Maneschy na Fapespa.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Titular da Sectet acompanha visita de Governador a obras abandonadas de Escola em Barcarena

sex, 18/01/2019 - 16:43
18/01/2019

O governador do Pará, Helder Barbalho realizou, na manhã desta sexta-feira (18), uma visita técnica às obras da Escola de Trabalho e Produção de Barcarena, nordeste do Estado. O objetivo foi verificar o estado atual da edificação, que está inacabada. A partir da vistoria, o Governo do Estado tomará as providências para dar prosseguimento aos trabalhos e entregar a obra, que será importante na formação profissional de estudantes de Barcarena e região.

“Os sentimentos são de perplexidade e tristeza. Como pode o governo anterior ter deixado isso acontecer? Como pode uma escola que deveria ser um espaço para a formação, educação e conhecimento, para garantir um futuro melhor para os nossos jovens, ser fruto do descaso, da ineficiência e principalmente, da irresponsabilidade do governo anterior, fazendo com que esses recursos possam ter sido perdidos, na condição que estamos vendo aqui? Uma obra iniciada há mais de nove anos, em que a Seduc diz que já foi pago 87% da obra, e o que nós estamos vendo aqui nada mais é do que o esqueleto do abandono absoluto. Será necessário ser refeita a obra, será necessária a utilização de recursos novamente, para que a obra possa ser concluída”, se comprometeu o governador.

Helder Barbalho destacou ainda a importância que a escola terá no futuro da juventude local. “Nós iremos responsabilizar aqueles que deram causa a isto. Nós não podemos aceitar que recursos públicos possam ser gastos dessa maneira e vamos buscar acelerar para que, efetivamente, esta situação de abandono fique pra trás, e nós possamos, em um horizonte mais próximo possível, assegurar que a juventude de Barcarena e da região possam ter essa escola técnica para a formação, para serem aproveitados na mão de obra local, para fortalecer a presença de gente formada aqui, no Parque Industrial, e nos empregos ofertados em Barcarena”, disse.

Abandono - Devido ao abandono da obra (localizada na Estrada do Conjunto São Francisco, entre as rotatórias das rodovias PA-151 e da Integração), grande parte do que foi erguido acabou se deteriorando ou foi depredado.

Em fiscalização feita no dia 14 de agosto de 2018, a Diretoria de Recursos Técnicos da Seduc identificou que, dos serviços não finalizados pela empresa vencedora da licitação, somente o arcabouço do prédio ficou de pé.

Os prejuízos ao erário são muitos. Foram arrancadas as telhas das coberturas dos blocos pedagógico, biblioteca, auditório e quadra coberta. Além disso, as lajes, em virtude da exposição às chuvas, estão com aparente comprometimento nas estruturas, assim como os forros. Também foram arrancados os pisos de cerâmica, os peitoris, esquadrias de portas e janelas, e as tubulações das redes elétricas e de esgoto.

“O cenário é de abandono completo e vandalismo. Vândalos se aproveitaram para levar aquilo que já tinha na escola. Vamos ter que fazer um novo investimento, quase que dobrado, para retomar as obras e entregar esta escola, que é um equipamento importantíssimo para a cidade e região como um todo. E assim, fazer com que os índices de educação do Estado melhorem. Essa aqui, em particular, é muito importante e estratégica para a  região, já que é uma escola tecnológica, que contribui para que os jovens sejam absorvidos no mercado de trabalho”, disse o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Carlos Maneschy.

Com a vistoria desta sexta-feira, o governador Helder Barbalho, juntamente com a equipe técnica da Seduc, conheceu in loco a situação, para, a partir daí, tomar a decisão necessária com o objetivo de salvar o patrimônio público e assegurar que a obra possa ser finalizada sem maiores prejuízos à população.

Esperança renovada - “Só temos a ganhar com a visita do governador Helder Barbalho. Estou aqui há seis anos e durante esse tempo nunca vi ninguém mexer aqui. Mas agora estamos muito esperançosos, porque a gente tem a certeza que o governador vai continuar a escola e vai entregá-la para os nossos jovens. Uma entrega fundamental, já que vivemos em um município industrial, que precisa da capacitação que será oferecida por essa escola”, destacou o prefeito de Barcarena, Carlos Vilaça.

O projeto original da Escola de Trabalho e Produção de Barcarena prevê a construção de laboratórios, biblioteca, auditório, quadra poliesportiva coberta, refeitório, banheiros (incluindo os adaptados para pessoas com deficiência), sala para os professores, secretaria, diretoria, cozinha, estacionamento, guarita de segurança e pátio interno.

Acompanharam o governador na visita o vice-governador, Lúcio Vale; o presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Bruno Kono; o secretário de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Rui Cabral; a secretária de Educação (Seduc), Leila Freire; o secretário de Ciência e Tecnologia (Sectet), Carlos Maneschy;  o prefeito de Barcarena, Carlos Vilaça; o deputado estadual Luth Rebelo; o deputado eleito Victor Dias; o deputado Renato Ogawa; o deputado estadual eleito Dr. Daniel; o federal eleito Cristino Vale; além de vereadores, lideranças locais e dos municípios vizinhos.

Texto: Syanne Nenno, com informações de Caroline Rocha.

Por Natália Mello

Categorias: Notícias

Cerimônia de posse marca transição de diretoria da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá

sex, 18/01/2019 - 11:00
18/01/2019

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, organização social responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, realizou na quinta-feira (17), a cerimônia de posse de sua nova diretoria executiva, eleita pelo conselho curador da instituição para o triênio 2019/2021. O evento foi realizado no auditório do prédio "Espaço Inovação", em Belém. Mais de 100 pessoas, entre autoridades do governo, da comunidade acadêmica e representantes do ecossistema de inovação do estado do Pará participaram do evento

Rodrigo Quites Reis, doutor em ciência da computação e professor titular da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Arnaldo José de Miranda, mestre em engenharia elétrica e professor da Universidade da Amazônia (Unama), assumiram o cargo de diretor presidente e diretor administrativo financeiro, respectivamente.

Estiveram presentes o titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet),Carlos Maneschy; o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Mauro O’ de Almeida; os reitores da UFPA, Emmanuel Tourinho; da UEPA, Rubens Cardoso; do IFPA, Claudio Alex; a presidente do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ana Albernaz; a pro-reitora de pesquisa e pós-graduação da Unama,  Ana Maria Vasconcelos; o diretor superintendente do Sebrae Pará, Rubens Magno; o chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri; a diretora da Fiepa, Maria de Fátima Chamma; dentre outros.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, falou sobre a importância do conhecimento para a diversificação da matriz produtora do Estado. “O Pará é um grande exportador, dado a importância da atividade e dos grandes projetos aqui instalados. Por isso, é preciso pensar na verticalização dessa produção a fim de permitir a distribuição de toda a riqueza que essas iniciativas são capazes de gerar. As Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTs) têm um papel fundamental nisso e o Estado será um grande facilitador para que ações neste sentido possam ser implantadas”, afirmou.

O diretor da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá entre 2010 a 2018, Antônio Jorge Gomes Abelém, na ocasião também representando o Conselho Curador da instituição, fez um balanço de sua gestão, destacando as principais conquistas do parque tecnológico. “Do zero, estruturamos a Fundação Guamá e criamos todos os processos, normas e procedimentos. Revisamos e atualizamos os planos estratégicos do parque e trabalhamos para a implantação de uma estrutura física e de serviços tecnológicos de apoio ao empreendedorismo, formalizando importantes parcerias para a consolidação do Parque e a atração de empreendimentos”, falou.

O reitor da Universidade Federal do Pará, Emmanuel Tourinho, deu as boas-vindas ao presidente eleito e agradeceu o trabalho desenvolvido pela gestão anterior. “O Parque avançou muito, tanto do ponto de vista da estrutura física, quanto dos projetos e iniciativas instalados aqui, contribuindo para a construção de um sistema de produção de conhecimento e formação de recursos humanos efetivamente à altura dos grandes desafios econômicos e sociais”, disse o reitor.

Já empossado, o diretor presidente da Fundação Guamá, Rodrigo Quites Reis, destacou o compromisso de aumentar a capacidade do parque à potência máxima. “Pretendemos trabalhar o máximo possível de forma colaborativa, ampliando o diálogo e as parcerias com os públicos internos e externos, tanto do setor público quanto do setor privado. Nosso plano é de criar e fortalecer agendas em novos segmentos tecnológicos que sejam, ao mesmo tempo, comprometidos com projetos de desenvolvimento econômico, social e ambiental, contribuindo assim com as questões prioritárias e de interesse público para o estado do Pará e da região amazônica”, afirmou.

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro, e permanece como único, parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

Mais informações: www.pctguama.org.br

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)

Categorias: Notícias

Nova diretoria executiva assume a Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá

qua, 16/01/2019 - 11:16
16/01/2019

Uma nova diretoria executiva toma posse na Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, na próxima quinta-feira, dia 17 de janeiro. A Fundação será comandada por um novo diretor-presidente, o professor Rodrigo Quites Reis, doutor em Ciência da Computação e professor titular da Universidade Federal do Pará (UFPA) e por Arnaldo José de Miranda, mestre em engenharia elétrica, e professor da Universidade da Amazônia (UNAMA), que assume a diretoria administrativo-financeira.

Eleita por unanimidade pelo Conselho Curador da instituição, formado por um conjunto de especialistas da universidade e de outras organizações governamentais, empresariais e setoriais ligadas ao empreendedorismo e inovação, a nova diretoria executiva exercerá o mandato para o triênio de 2019 a 2021.

Segundo Rodrigo Quites, é necessário reconhecer a importância desse que é o primeiro e único parque tecnológico no Norte do país e fortalecê-lo, ampliando as suas capacidades para que ele funcione com a potência máxima.

“Pretendemos trabalhar o máximo possível de forma colaborativa, ampliando o diálogo e as parcerias com os públicos internos e externos ao parque, tanto do setor público quanto do privado. Nosso plano é o de fortalecer agendas em novos segmentos tecnológicos que sejam, ao mesmo tempo, comprometidas com projetos de desenvolvimento inovadores dos pontos de vista econômico, social, ambiental, contribuindo assim com as questões prioritárias e de interesse público para o estado e a região amazônica”, completa o novo diretor.

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo o de estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

Para saber mais, visite: http://pctguama.org.br/

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)

Categorias: Notícias

Novo titular da Sectet se reúne com servidores do órgão

sex, 11/01/2019 - 17:12
11/01/2019

Na manhã desta sexta-feira (11), o novo titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, Carlos Edilson de Almeida Maneschy, reuniu-se com os servidores do órgão. Na oportunidade, Maneschy elogiou o trabalho que é desenvolvido na Secretaria e ressaltou a importância do papel de cada um para o bom desenvolvimento das ações competentes à Sectet.

“É exatamente o estímulo à inovação, à ciência e à tecnologia que vai fazer com que possamos mudar a base produtiva do estado definitivamente, garantindo emprego de mais qualidade e garantindo que esta riqueza da região possa ser apropriada e possa servir de benefício cada vez maior aos paraenses. Isso será feito de maneira mais especial se as nossas empresas e as nossas instituições de pesquisa se associarem de forma virtuosa para que possamos construir um ambiente capaz de fazer com que a economia deste estado dê frutos cada vez mais bem distribuídos, socialmente falando, e esta área (CT&I) é a que pode fazer esta diferença, por isso eu digo que o papel dos senhores aqui (servidores) é imprescindível para que tenhamos resultados ainda mais promissores para o desenvolvimento do estado”, enfatizou o Secretário.

Carlos Edilson de Almeida Maneschy possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Pará (1977), mestrado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1981) e doutorado em Engenharia Mecânica - University of Pittsburgh (1986). Foi professor associado da Universidade de Pittsburg (1991-1994). Atualmente é e professor titular da Universidade Federal do Pará.

Ele tem ainda experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Análise de Tensões, Mecânica dos Sólidos e Mecânica não Linear. É membro do Conselho Superior da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Em julho de 2009, foi nomeado Reitor da UFPA com mandato até julho de 2013, sendo reconduzido ao cargo até 2016. Em agosto de 2012, foi eleito presidente da Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES).

Durante o encontro com os servidores, o Secretário aproveitou para adiantar as comemorações pelo seu aniversário que ocorre no sábado, dia 12 de janeiro, e ressaltou que em breve a Sectet receberá a visita do Governador Helder Barbalho.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sistema Pará Profissional otimiza ações do Programa

qui, 27/12/2018 - 13:15
27/12/2018

O Pará Profissional, coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), ganhou, no mês de dezembro, um novo aliado para auxiliar na sua efetiva execução: um sistema específico para as atividades do Programa. Dessa forma, otimizam-se tempo e recursos humanos, além de ficar garantido um acompanhamento mais efetivo das ofertas, desde o momento das interações com os parceiros demandantes, como as prefeituras municipais e as empresas.

O diretor de Educação Profissional e Tecnológica da Sectet, Luís Blasques, explica que “todos os atores podem, via sistema, inserir suas demandas, as quais são recebidas em tempo real pela equipe da Sectet, além disso, os alunos também irão se cadastrar e receber informações de forma muito mais ágil e fácil”. Blasques ressalta ainda que, durante a oferta de cursos, o sistema permite um acompanhamento acadêmico.

Já, após o término dos cursos, o sistema ainda permite  uma interação com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), podendo identificar, a cada final de mês, se houve mudança de posição dos egressos, por exemplo, aqueles que tiveram carteira de trabalho assinada ou os que foram desligados, , facilitando o acompanhamento e buscando sempre otimizar as ações do Programa”.

O programa Pará Profissional foi instituído pela Lei no 8.427, de 16 de novembro de 2016, e é descrito como um dos principais instrumentos de superação das desigualdades inter-regionais, com a finalidade de ofertar educação profissional e tecnológica nas diversas modalidades a fim de consolidar, ampliar e verticalizar as cadeias produtivas aos eixos prioritários de desenvolvimento no Estado.

No dia 14 de setembro de 2018, o Pará Profissional recebeu o Prêmio Excelência em Competitividade de 2018, na categoria Boas Práticas. No total mais de 90 práticas foram inscritas para concorrer ao prêmio nessa categoria e seis foram selecionadas como finalistas, das quais apenas três foram premiadas. Organizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), o objetivo do prêmio é dar destaque a projetos que têm mudado o Brasil e ajudado o país na consolidação de uma nação mais próspera e competitiva.

Desde o início da sua execução, até o final de 2018, o Pará Profissional realizou cursos de qualificação profissional em 70 municípios das 12 regiões de integração do estado, totalizando 7.682 pessoas certificadas.

Serviço: O novo sistema pode ser acessado por meio do site do Pará Profissional.

Categorias: Notícias

Sectet realiza “Diálogos da Inovação” sobre governança territorial

sex, 21/12/2018 - 13:22
21/12/2018

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realizou, na manhã desta nesta sexta-feira (21), mais uma edição dos “Diálogos da Inovação”. O tema abordado, desta vez, foi "Governança territorial e desenvolvimento local".  O evento ocorreu no Espaço Empreendedor do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá).

O diretor de ciência e tecnologia da Sectet, Marco Antônio Lima, explicou que o objetivo do evento foi levar para a equipe da Sectet e os parceiros da Organização Social BioTec-Amazônia, que gere o Programa BioPará, e da Fundação Guamá, que dirige o PCT Guamá, conceitos fundamentais conceitos sobre o mecanismo de governança territorial, que são articulações institucionais, de redes, de atores e agentes territoriais, por meios das quais se pode aproveitar o potencial do território na formulação e implementação de políticas de desenvolvimento.

“Na medida em que a Sectet tem como uma de suas atividades principais incentivar a geração de inovações tecnológicos, onde você direciona os resultados das pesquisas científicas para a geração de inovações nos processos sociais e produtivos e essas inovações precisam tanto atender à demandas dos territórios como aproveitar o potencial desses territórios para gerar desenvolvimento. Dessa forma, entendemos que é importante que a Sectet e os parceiros próximos entendam o assunto e dominem para que possam aplicar em suas atividades”, frisou o diretor.

A programação do evento foi composta por uma palestra do professor e pesquisador PhD em Estudos do Desenvolvimento, Mário Vasconcellos, o qual abordou os conceitos de governança e território.

“Nós temos um movimento global de desenvolvimento que chega no local e vai desestruturando a identidade e as estruturas locais mas, ao mesmo tempo, os locais reagem aos movimentos globais fazendo proposições endógenas, então a perspectiva da governança territorial é trazer possibilidade de desenvolvimento a partir do território local, a partir do que ele define como prioridade e não se subordina necessariamente aos movimentos globais, embora não possa deixar de se relacionar”, ressaltou.

Em seguida o engenheiro de pesca, especialista em gestão de ciência e tecnologia, e servidor da Sectet, Edivanildo Camarão, apresentou a pesquisa que desenvolveu a respeito do Arranjo produtivo Local de pesca e aquicultura no município de Bragança. Por sua vez, o diretor de ciência e tecnologia da Sectet, Marco Antônio Lima, destacou um caso de sucesso do Grupo de Gestão Integrada de Desenvolvimento Regional Sustentável de Santarém.

Texto: Fernanda Graim ( Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Maior financiadora de Pesquisas da América Latina abre escritório em Belém

qui, 20/12/2018 - 09:15
20/12/2018

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), a maior do gênero na área de estudos e projetos da América Latina, abriu um escritório em Belém voltado ao desenvolvimento da pesquisa e inovação no norte do Brasil. Sediada na cidade do Rio de Janeiro (RJ), a Finep é uma empresa pública brasileira de fomento à ciência, tecnologia e inovação em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas.  A empresa é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

A inauguração ocorreu durante a abertura do “Encontro Finep para Inovação”, com a presença do governador em exercício Zequinha Marinho, e do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica, Alex Fiuza de Melo, além de autoridades do Ministério da Ciência, da Finep e do Governo do Pará, e representantes de instituições locais.

Para o governador em exercício, este é um grande investimento que faltava para disponibilizar incentivos àqueles que sonham em fazer pesquisa e inovação. “Para o setor empreendedor não poderia ser melhor. Temos hoje uma forma de transformar pensamento em realidade, pois temos uma fonte de financiamento para realizar a pesquisa e a inovação”, destacou Zequinha Marinho.

O presidente nacional da Finep, Ronaldo Camargo, disse que a inauguração do escritório na capital paraense faz parte da estratégia de regionalização da financiadora, que conta com unidades em Brasília (DF), Fortaleza (CE), São Paulo (SP) e Florianópolis (SC), além da sede no Rio de Janeiro. “Devido à particularidade e enormidade da Região Amazônica, a abertura do escritório é a ‘cereja do bolo’ desta estratégia”, afirmou.

Política de incentivos - O escritório está instalado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT), e visa intensificar a atuação com parceiros e potenciais clientes da região. A instalação do espaço no PCT Guamá fortalece a política de desenvolvimento de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) no Pará, que conta com iniciativas como a Lei Estadual de Inovação; os incentivos fiscais destinados ao investimento em pesquisa e inovação; o Decreto de Subvenção Econômica; o financiamento de programas de pós-graduação; as bolsas de qualificação (iniciação científica, mestrado e doutorado); os Programas NavegaPará, Pará Profissional, TecSocial, Inova Pará e BioPará; o Observatório Paraense de Ciência e Tecnologia; o Boletim Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação; as bolsas de estímulo à inovação e os ambientes de inovação, a exemplo do PCT Guamá.

O espaço é o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia. O objetivo é estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos. A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá foi qualificada pelo Governo do Pará para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá.

“A instalação é um marco importante que consolida o PCT Guamá como ambiente de estímulo ao empreendedorismo inovador”, ressaltou  Antônio Abelem , diretor-presidente do PCT Guamá.

Texto: Márcio Flexa (Agência Pará)

Categorias: Notícias

Finep

ter, 18/12/2018 - 14:32
18/12/2018

Finep inaugura escritório regional no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) vai inaugurar, em Belém, agência de atendimento focada na região Norte. O escritório visa intensificar a atuação junto a parceiros e potenciais clientes da região. Aberta ao público, a programação conta com palestra sobre os instrumentos da Finep; atendimento às empresas e instituições do ecossistema de inovação; e assinatura de contratos e convênios de projetos da região Norte.

O evento contará com a participação de autoridades do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Mctic), da Finep, do Governo do Estado do Pará, além de representantes das principais instituições científicas do país.

Programação
10h às 10h40 – Palestra sobre os instrumentos da Finep para apoio à inovação, com João Florêncio, no auditório do prédio Espaço Inovação.
10h40 às 12h – Atendimento de startups, empresas e instituições, no prédio Espaço Empreendedor.
14h às 17h – Cerimônia de abertura, no auditório do CRA Inpe.

Categorias: Notícias

Assinatura de ACT garante expansão da rede de fibra óptica nas regiões Nordeste e Sudeste do Pará

seg, 17/12/2018 - 16:24
17/12/2018

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) assinaram, na tarde desta segunda-feira (17), na sede da Sectet, Acordo de Cooperação Técnica em substituição ao Acordo de Cooperação Técnica nº 005/2014, atualmente em vigor. Em 2010, fora assinado um Acordo de Cooperação visando à implantação de redes ópticas nas cidades de Altamira, Castanhal, Marabá e Santarém. Várias atividades foram executadas após a sua vigência, entre elas a de conclusão da implantação dessas redes.

No início de 2014, um novo acordo entre Prodepa, Sectet e RNP levou um novo conceito de comunicação de alta velocidade aos municípios de Castanhal, Santarém, Marabá e Altamira. As novas redes intensificaram nessas cidades a troca de informações, o desenvolvimento de pesquisas científicas e a integração entre universidades, unidades de pesquisa e órgãos do governo, através de 120 quilômetros de rede óptica – 37 km em Marabá, 35 km em Castanhal, 34 km em Santarém e 13 km em Altamira. Até então, apenas Belém era beneficiada com uma rede metropolitana de fibra óptica. Já nos demais municípios, o acesso das cidades digitais do Navegapará era provido exclusivamente via rádio.

Para o presidente da Prodepa, Theo Pires, um trabalho em parceria facilita e agiliza a expansão de fibra ótica entre os municípios paraenses. “O Pará é um estado atípico e, para enfrentar os desafios que se apresentam diante da realidade geográfica, econômica e populacional desse estado, precisa-se dessa cultura de parcerias, e a parceria com a RNP vai ao encontro de atender os municípios com melhor infraestrutura de comunicação, aumentando a qualidade dessa comunicação em todos os municípios e também levando links de qualidade e acesso à internet para instituições de ensino e para os pesquisadores”, explicou.

O Acordo assinado, agora, amplia-se para os municípios de Salinas, Bragança, Parauapebas, Xinguara e Canaã do Carajás. Por meio dele, a RNP cede ao Governo do Estado um par de fibra óptica, efetuando a manutenção da rede no trecho Bragança-Capanema-Salinas, no Nordeste; e no trecho Eldorado do Carajás-Parauapebas-Canaã do Carajás-Xinguara, no Sudeste.

Em contrapartida, o Governo do Estado cede a RNP um par de fibra óptica, efetuando a manutenção da rede no trecho Marabá-Eldorado do Carajás-Xinguara e nas redes metropolitanas dos seguintes municípios: Altamira, Castanhal, Marabá, Santarém, Sapucaia e Xinguara, além da cessão de transporte de dados de 3Gbps cedido no Backbone do Navegapará e a manutenção das redes metropolitanas da RNP em Santarém, Marabá, Altamira e Castanhal.

Dessa forma, o diretor geral da RNP, Nelson Simões, lembra ainda que pesquisa se faz com colaboração, o que é facilitado pelas tecnologias da informação. “A pesquisa não se faz de forma isolada e, hoje mais ainda, praticamente em todos os campos do conhecimento usa-se a tecnologia da informação. É muito simples entender porque já vivemos imersos neste mundo, mas ninguém se pergunta como a internet funciona, ela depende dessas infraestruturas, e aqui se firmou um acordo para que elas possam ser interiorizadas em alta qualidade”, ressaltou.

Texto: Nátia Ney  (Ascom/Prodepa) e Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Servidores recebem certificados de especialização em C&T e Educação Profissional e Tecnológica

sex, 14/12/2018 - 08:23
14/12/2018

“Agora estes profissionais voltam às suas instituições com olhar e perspectivas diferenciados da forma de desenvolver o serviço público”. Foi desta maneira que a titular da Secretaria de Estado de Administração (Sead), Alice Viana, referiu-se aos 39 concluintes do Curso de Especialização em Gestão de Ciência e Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, que foram certificados na manhã desta quinta-feira (13) no auditório da Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA).

O curso surgiu de uma demanda da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), que contou com a parceria da EGPA para a sua realização. O objetivo foi a qualificação de servidores efetivos, no sentido de desenvolver o capital humano institucional a fim de que possam melhor se posicionar dentro do órgão, agregando habilidades e competências gerenciais nas áreas em questão.

Para o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, é de fundamental importância que o conhecimento adquirido durante o curso seja aplicado no dia a dia dos órgãos públicos. “Este curso não foi promovido apenas para garantir um diploma ao servidor, foi realizado para que se conscientizassem e qualificassem diante dos desafios que surgem no serviço público, tendo como finalidade o bem da sociedade”, lembrou. O Secretário ressaltou ainda que a atuação dos servidores públicos é essencial para a continuidade de políticas públicas que favorecem a população.

Da mesma opinião compartilha o diretor geral da EGPA, Danilo Alho, que destacou o comprometimento profissional do servidor. “É por meio de ações como esta que formamos profissionais com a missão do comprometimento em disponibilizar serviços com eficiência e qualidade à sociedade. Que estas formações se traduzam em retornos com êxito para a população”, recomendou.

A especialização foi realizada em 20 meses, sendo 17 de aulas presenciais com professores locais e de fora do estado, além de mais dois meses para orientação, elaboração e entrega dos trabalhos de conclusão do curso. Durante a cerimônia de certificação, foram apresentados quatro desses trabalhos para conhecimento do público. A proposta do curso foi ser essencialmente instrumental com todos os conteúdos voltados para o aprimoramento do ato de pensar e reinventar, enquanto sujeitos promotores do serviço público e agentes da divulgação da ciência, tecnologia e educação tecnológica como forma motriz para o desenvolvimento social, econômico, cultural e moral da sociedade.

Para um dos concluintes do curso e servidor da Sectet, Alexandre Negrão, os debates ocorridos em sala de aula tiveram grande valor. “Nós víamos o estado de uma forma amadora, como numa penumbra, hoje o curso nos deu ferramentas para ver o estado de uma forma diferente, mais profissional, com todas as suas mazelas, porém com todos os seus potenciais. Quando vemos o Pará Profissional e o PCT Guamá, por exemplo, percebemos que o futuro já começou e tem todo um arcabouço jurídico que nos prepara melhor, ficamos em um estágio de capacitação muito melhor para entender os problemas do estado”, concluiu.

Além dos servidores da Sectet, também participaram do curso de especialização servidores das Secretarias de Estado de Turismo (Setur); de Educação (Seduc); de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (Sedap); de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster); da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa); e da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Pará Profissional certifica concluintes do primeiro Curso Técnico de Açúcar e Álcool do Pará

qua, 12/12/2018 - 13:24
12/12/2018

A noite da última terça-feira (11) foi de festa para os 32 concluintes do primeiro Curso Técnico de Açúcar e Álcool do Pará. Ocorrido em Ulianópolis, no sudeste do estado, o curso foi ofertado por meio do Programa Pará Profissional, coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), com o objetivo de atender à demanda por mão de obra no setor de produção sucroalcooleira do município.

As aulas tiveram início em novembro de 2016, após a assinatura de um convênio entre Sectet e a empresa Pagrisa - Pará Pastoril e Agrícola S/A, a qual disponibilizou a infraestrutura necessária para a realização das atividades práticas do curso. No total, foram 1200 horas de aula, divididas em quatro módulos. A Secretaria contou também com a parceria da Unidade de Ensino do Senai/PA de Paragominas para a execução do curso.

O Governo do Pará acredita que, contribuindo para a qualificação de profissionais nessa área, possibilita a expansão do setor no estado, o que, consequentemente, gera mais emprego e renda para a população paraense. Para o diretor da Pagrisa, Fernão Zacaner, os egressos do curso têm a oportunidade de escrever uma nova história. “Esses jovens passaram quase dois anos estudando e se dedicando, agora estão na maior alegria, eles vão trazer muito desenvolvimento e impacto para o município”, comemorou.

Durante o ato de entrega dos certificados, estiveram presentes a adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez e o diretor de Educação Profissional e Tecnológica, Luís Blasques, como representantes da Secretaria. Eles também participaram, no período da tarde, da certificação de cursos do Pará Profissional, na categoria Formação Inicial e Continuada. No total, foram 19 pessoas qualificadas como Mecânico de Freio e 12 concluintes do curso de Instrumentista Industrial.

Premiação

Em setembro deste ano, o estado do Pará recebeu o Prêmio Excelência em Competitividade de 2018, na categoria Boas Práticas, pela execução do Pará Profissional. No total mais de 90 práticas foram inscritas para concorrer ao prêmio nessa categoria e seis foram selecionadas como finalistas, das quais apenas três foram premiadas. Organizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), o objetivo do prêmio é dar destaque a projetos que têm mudado o Brasil e ajudado o país na consolidação de uma nação mais próspera e competitiva.

O Programa Pará Profissional, amparado pela Lei no. 8.427, de 16 de novembro de 2016, é coordenado Sectet e se caracteriza por ser um dos instrumentos de combate à desigualdade inter-regional no estado por meio da qualificação profissional da mão de obra local.  Desde o início de sua execução até final de novembro de 2018, o Programa já havia ofertado e concluído 450 cursos de qualificação, realizados em 63 municípios de todas as 12 Regiões de Integração do Estado, totalizando 7.200 pessoas qualificadas (2016-2018).

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Uso sustentável da biodiversidade no setor de cosméticos norteia Encontro em Belém

qua, 12/12/2018 - 09:37
12/12/2018

Durante dois dias, 10 e 11 de dezembro, estudantes, pesquisados, moradores de comunidades tradicionais, representantes de pequenas e grandes empresas instaladas na região, de cooperativas e do setor público estiveram reunidos, na sede do Sebrae/Pa, em Belém para participarem do Encontro “Cosméticos da Biodiversidade Amazônica”, que teve o objetivo de discutir estratégias para o fortalecimento do setor de cosméticos no Pará.

Organizado por meio de uma parceria entre o APL de Cosméticos no estado (Amazônia na Pele), a Organização Social Biotec-Amazônia, o Sebrae/Pa e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), o evento também tem como mote o pensamento “Produzir para preservar”. A Floresta Amazônica é considerada a maior floresta tropical em extensão e a maior reserva de biodiversidade do planeta. Ela abriga mais de 30 mil espécies de plantas. Dela são extraídos inúmeros insumos que dão origem a diversos produtos utilizados no nosso cotidiano, entre eles os cosméticos. Entretanto, um dos grandes desafios da civilização moderna é usar tal biodiversidade amazônica de uma forma sustentável, mantendo a floresta em pé.

Para o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, que participou da abertura do Encontro, é necessário aprender a transformar toda a riqueza da floresta em desenvolvimento, por meio de um trabalho coletivo. “Nosso desafio não é só de infraestrutura, de políticas públicas, de burocracia, é também um desafio de natureza cultural. Além disso, é fundamental que Encontros como este levem a discussões com um objetivo, que gerem redes de cooperação, a fim de criar condições para que a região tenha um modelo de desenvolvimento que se sustente economicamente no tempo”, explicou.

O evento teve a programação dividida em quatro eixos temáticos. O primeiro, intitulado “Insumos Vegetais”, abordou os impactos da Nova Lei da Biodiversidade na cadeia de cosméticos e os desafios para as cadeias produtivas de insumos. Já no segundo eixo, que teve como tema “Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação: Cosméticos no Estado”, pesquisadores puderam apresentar suas pesquisas e estudos com elementos da biodiversidade amazônica que podem ser de grande utilidade para o setor de cosméticos. O terceiro eixo destacou especificamente a “Indústria de Cosméticos”, ressaltando suas potencialidades e experiências. Por fim, mostrou as “Tendências em Cosmetologia”.

BioPará

No dia 14 de dezembro de 2017, o Governo do Pará, por intermédio da Sectet, assinou contrato de gestão com a BioTec-Amazônia, organização social selecionada, por meio do edital de chamamento público nº 004/2017, para gerir o Programa Paraense de Incentivo ao Uso Sustentável da Biodiversidade Amazônica, conhecido como BioPará.

O Programa traduz-se como a ferramenta norteadora à elaboração de políticas públicas que possibilitem a agregação de valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual e regional, por meio de pesquisa e desenvolvimento e de prospecção de negócios inovadores no setor.

Considera-se “gestão do BioPará” um sistema inteligente de governança voltado ao estímulo e apoio ao planejamento e desenvolvimento de uma economia dinâmica fundada no uso sustentável da biodiversidade, com a devida e adequada base científica e tecnológica.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Propriedade Intelectual

qui, 06/12/2018 - 13:45
06/12/2018

Seminário leva conhecimento sobre inovação e propriedade intelectual 

O fortalecimento das empresas locais, universidades e comunidades sobre o que é e como proteger invenções, marcas, desenhos indústrias e outros direitos de propriedade intelectual aprimora a possibilidade destes usuários em defender os interesses locais tendo em vista uma melhor distribuição de renda para a região.

Pensando nisso é que a Organização Social BioTec-Amazônia realiza no dia 12 de dezembro de 2018, no auditório Albano Franco, da Federação das Indústrias do Pará (FIEPA), o Seminário Propriedade Intelectual e Inovação na Amazônia. A ideia é disseminar conhecimento em propriedade intelectual através da realização do workshop. As inscrições já estão disponíveis aqui nesse link. O evento é direcionado a empresários locais, comunidades tradicionais e meio acadêmico, inclusive os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) que possuem relevante e estratégico interesse no tema.

As matérias primas da Amazônia podem ser fundamentais para o desenvolvimento de novos medicamentos, cosméticos, defensivos, super alimentos, dentre outras possibilidades, no entanto é necessário que haja pesquisa e desenvolvimento prévio para interpretar e entender a função de cada espécie para a indústria. “O amplo conhecimento em propriedade intelectual contribui para este cenário. Partindo dessas razões é que incluímos no debate discussões envolvendo patentes e marcas”, explica Luiz Ricardo Marinello, Coordenador do Evento e Consultor Técnico da BioTec-Amazônia.

Para Sheilla Melo, da Embrapa Amazônia Oriental, que coordena o evento junto com Marinello, os temas do seminário serão marcantes para os presentes no evento. “O Seminário traz temas importantes como propriedade intelectual, inovação e formas de financiamento e projetos inovadores para empresas, tanto dos representantes da Finep, que estarão sendo um dos palestrantes e explicando as formas de financiamento, como também teremos especialistas falando de Blockchain. Outro tema também será as Patentes, ministrado pela Coordenadora do Instituto Nacional da Propriedade Industrial”, reforçou Sheila.

A programação conta com a presença do Diretor-Presidente da OS BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, do titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, Alex Fiuza de Mello e do Chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Amazônia Oriental, Bruno Giovany de Maria. Também ministram palestras, Claudia Magioli, Coordenadora Geral de Patentes, do INPI; Milton Lucídio Leão Barcellos, da Leão Propriedade Intelectual; Sheila de Souza Correa de Melo, da Embrapa – PA; Luiz Ricardo Marinello, Consultor Técnico da BioTec-Amazônia; Alexandre Garcia, da Mar Ventures; Mayra Castro, da Ajuri Desenvolvedora de Negócios e Rodrigo da Silva de Lima, representante da Finep.

Serviço

O Seminário Propriedade Intelectual e Inovação na Amazônia é um evento de propriedade intelectual, organizado pela BioTec-Amazônia, e acontece no dia 12 de dezembro de 2018, no auditório Albano Franco, da Federação das Indústrias do Pará (FIEPA). As inscrições ocorrem AQUI e as vagas são limitadas. As inscrições são gratuitas.

Texto: Sílvia Leão (Ascom/BioTec-Amazônia)

Categorias: Notícias

Pará Profissional abre inscrições para 120 vagas em cursos de aperfeiçoamento e qualificação

seg, 03/12/2018 - 11:24
03/12/2018

Estão abertas, até o dia 5 de dezembro, as inscrições para o preenchimento de 120 vagas, distribuídas em cinco cursos, na modalidade de Aperfeiçoamento e Qualificação Profissional, oferecidas por meio do Programa Pará Profissional. As aulas ocorrerão em cinco municípios paraenses, localizados em três diferentes regiões de integração do estado. Os cursos são presenciais, de caráter teórico-prático. Eles são dirigidos para apoiar atividades do Comércio de Bens e Serviços, Meio Ambiente e Construção Civil nos municípios.

O início das aulas ocorre entre 6 e 10 de dezembro, dependendo do curso escolhido. Para estarem aptos à matrícula, os participantes devem ter idade mínima de 18 anos completos no momento da inscrição e atender aos níveis de escolaridade e pré-requisitos exigidos no anexo I do edital.

Os municípios que sediarão os cursos são: Rio Maria, Xinguara, Canaã dos Carajás, Augusto Correa e Viseu. As aulas serão executadas pelas unidades de ensino do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Premiação

Em setembro deste ano, o estado do Pará recebeu o Prêmio Excelência em Competitividade de 2018, na categoria Boas Práticas, pela execução do Pará Profissional. No total mais de 90 práticas foram inscritas para concorrer ao prêmio nessa categoria e seis foram selecionadas como finalistas, das quais apenas três foram premiadas. Organizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), o objetivo do prêmio é dar destaque a projetos que têm mudado o Brasil e ajudado o país na consolidação de uma nação mais próspera e competitiva.

O Programa Pará Profissional, amparado pela Lei no. 8.427, de 16 de novembro de 2016, é coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e se caracteriza por ser um dos instrumentos de combate à desigualdade inter-regional no estado por meio da qualificação profissional da mão de obra local.

Destaca-se que as ofertas de cursos do programa Pará Profissional são realizadas de acordo com as demandas dos atores pertencentes aos setores produtivos de cada região, mediante realização de oficinas, reuniões e solicitações diretas das prefeituras municipais.

Serviço: As inscrições para os novos cursos podem ser realizadas AQUI.  

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

EDITAL 008/2018 - Pará Profissional: 120 vagas em 5 Cursos de Educação Profissional e Tecnológica, na modalidade de Aperfeiçoamento e Qualificação Profissional

seg, 03/12/2018 - 11:02
Data do Edital: 03/12/2018

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET), no uso de suas atribuições legais, torna pública a abertura das inscrições para Cursos de Educação Profissional e Tecnológica, nas modalidades de Aperfeiçoamento e Qualificação Profissional, de caráter teórico-prático, presenciais. Eles são dirigidos para apoiar atividades do Comércio de Bens e Serviços, Meio Ambiente e Construção Civil nos municípios.

ANEXO I

ANEXO II

ANEXO III

ANEXO IV

AnexoTamanho Edital 008/2018123.83 KB
Categorias: Notícias

Consectet realiza a última reunião do ano

sex, 30/11/2018 - 11:57
30/11/2018

Na manhã desta sexta-feira (30), o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet), o qual presta assessoramento superior à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), realizou sua 7ª reunião ordinária, a última do ano. A principal pauta discutida no encontro foi a expectativa para a aprovação, pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), do projeto de lei que propõe a destinação de, pelo menos, 20% da parcela da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) para ações relativas à diversificação econômica, ao desenvolvimento mineral sustentável e ao desenvolvimento científico e tecnológico.

A proposta foi redigida pela Sectet e discutida junto com os representantes dos órgãos e instituições participantes do Consectet, os quais deliberaram a favor da redação. O documento foi assinado pelo Governador do Estado, Simão Jatene, e enviado à Alepa já no segundo semestre deste ano. Da reserva prevista, 75% ficariam assegurados para o desenvolvimento, inovação científica e tecnológica e qualificação profissional, vedada a utilização para pagamento de pessoal e bolsa de pesquisa, e 25% para a promoção de apoio a startups e micro e pequenas empresas inovadoras.

Durante a reunião, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, agradeceu ainda ao apoio dos membros do Conselho e ressaltou a importância de dar continuidade às ações nas áreas de CT&I e EPT no estado. “Tudo que foi construído não são iniciativas isoladas, são realizadas de forma paralela, são ações de Estado, não de Governo. O Consectet legitima as decisões que temos tomado e contribui para um controle social dessas ações”, concluiu o Secretário.

Na ocasião, estiveram presentes representantes da Universidade Federal do Pará (UFPA); do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa); da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa); da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa); do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá); do Instituto Evandro Chagas; da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa); e da Federação da Associação dos Municípios do Estado do Pará (Famep).

Texto: Fernanda Graim - Ascom/Sectet 

Categorias: Notícias

Sectet realiza balanço das ações nas áreas de CT&I e EPT no Pará

qui, 29/11/2018 - 14:36
29/11/2018

Na última quarta-feira (28), a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realizou, no auditório da FIEPA, o seminário “Política Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) e de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) – Balanço e Perspectivas”, mostrando os resultados das ações executadas pelo órgão, assim como destacando as perspectivas de continuidade para os próximos anos.

“O evento teve dois objetivos, primeiro fazer um balanço do trabalho da Secretaria e apresentar, aos parceiros e aos convidados, uma prestação de contas pública, e ao mesmo tempo, apresentar isso para representantes do novo governo, repassando informações importantes e estratégicas para não haver descontinuidade do trabalho”, explicou o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello.

Além da de representantes do novo governo, estiveram presentes a equipe de servidores da Sectet, representantes de órgãos parceiros como Secretarias de Estado de Desenvolvimento, Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e de Turismo (Setur); da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa); da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa); da Fundação Guamá, gestora do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá); da Organização Social BioTec-Amazônia;  e dos municípios que receberam cursos do Programa Pará Profissional nos últimos anos.

Qualificação profissional

Na ocasião, o diretor de EPT da Sectet, Luís Blasques, apresentou o histórico do Programa Pará Profissional, instituído pela Lei no 8.427, de 16 de novembro de 2016. Blasques mostrou que já foram ofertados e concluídos 450 cursos de qualificação profissional até novembro de 2018, realizados em 63 municípios de todas as 12 Regiões de Integração do Estado, totalizando 7.200 pessoas qualificadas (2016-2018). Além disso, ainda existem 100 cursos em andamento, com novos 2.100 alunos em formação, com previsão de certificação entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019.

Diante desses resultados, no dia 14 de setembro, o estado do Pará, por meio da Sectet, recebeu o Prêmio Excelência em Competitividade de 2018, na categoria Boas Práticas, pela execução do Programa Pará Profissional. Organizada pelo Centro de Liderança Pública (CLP), a premiação envolveu  mais de 90 práticas, entretanto somente seis foram selecionadas como finalistas, das quais apenas três foram premiadas.

 

Ciência, Tecnologia e Inovação

No que diz respeito a CT&I, o diretor do área, Marco Antônio Lima, destacou as ações do InovaPará, amparado pela Lei no 8.426, de 16 de novembro de 2016, que dispõe sobre incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, além da política estadual de incentivos fiscais. Lima apontou alguns desses ambientes que já contam com o apoio da Secretaria como: os Parques de Ciência e Tecnologia Guamá (em Belém – já instalado e consolidado), Tapajós (em Santarém) e Tocantins (em Marabá); o Parque Tecnológico Lago de Tucuruí - Tecnolago, em Tucuruí; o Centro de Pesca e Aquicultura, em Bragança; o Centro de Tecnologia em Mar e Petróleo, em Salinópolis.

O diretor ressaltou também os projetos contemplados pelo Programa TecSocial, o qual compreende o financiamento de projetos comprometidos com o desenvolvimento de produtos, técnicas e/ou metodologias reaplicáveis, voltados ao uso e manejo de tecnologias sociais alternativas de interesse comunitário. Ainda na área de CT&I, a diretoria também acompanhou o andamento das atividades da Organização Social BioTec-Amazônia, qualificada e contratada pelo Governo do Pará, no final de 2017, para gerir o Programa BioPará, Programa Paraense de Incentivo ao Uso Sustentável da Biodiversidade Amazônica.

Também durante o evento, foi lançado o Sistema Estadual de Monitoramento das Ações de Educação Profissional e Tecnológica, totalmente informatizado e automatizado, ferramenta inteligente e interativa on line que permitirá, entre outras funções, o recebimento mais ágil e eficiente das demandas por cursos profissionalizantes em todos os municípios do estado. Juntando-se a isso, foi apresentando o novo visual do Observatório Paraense de Ciência e Tecnologia (com link disponível no site da Sectet), assim como a 11ª edição da revista Ver-a-Ciência, periódico semestral publicado pela Secretaria. Durante o seminário, o diretor presidente da BioTec-Amazônia, José seixas Lourenço, e o da Fundação Guamá, Antônio Abelém, também apresentaram os resultados dessas instituições.  

Desenvolvimento

Englobando as duas áreas atribuídas à Secretaria, a adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, destacou que a superação dos desafios do desenvolvimento do Pará requer transformação nas estruturas produtivas. Além disso, segundo ela, é necessário transitar para um modelo baseado na inovação e no conhecimento, com mão de obra qualificada e ambientes que favoreçam a inovação produtiva.

Para sintetizar as apresentações do dia, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, apresentou a estruturação, estrategicamente planejada, nos últimos anos, do que se pode denominar de um Sistema Paraense de Inovação (SPI), formado por entes, públicos e privados, dos quatro principais setores representativos da sociedade (Estado, setor empresarial, instituições de ensino e pesquisa e terceiro setor). O SPI expressa um novo patamar de ambiência institucional a que se chegou, no estado, com a criação e consolidação de ferramentas de regulação e gestão mais afinadas com os desafios da inovação em território paraense.

Certificação

No período da noite, a Sectet aproveitou para certificar os concluintes de sete cursos realizados em parceria com o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) e com o Senai. Um dos concluintes do curso de padeiro, Sérgio Nascimento,  por exemplo, relatou que teve a vida transformada após a realização do curso, já que havia deixado o emprego de agente de portaria recentemente. “O curso me trouxe grandes benefícios, me ajudou a ter uma renda a mais, eu nunca havia trabalhado na área de panificação e me abriu um leque de oportunidades, podendo trabalhar em casa ou para uma empresa, a questão financeira melhorou muito e, graças a Deus, não está faltando nada em casa”, comemorou.

Texto: Fernanda Graim – Ascom/Sectet

Categorias: Notícias

Sistema Paraense de Inovação é o destaque da 11ª edição da revista Ver-a-Ciência

ter, 13/11/2018 - 11:32
13/11/2018

Já está disponível, na internet, a versão digital da 11a edição da Revista Ver-a-Ciência. Publicado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), o periódico semestral é um dos eixos estruturantes da política de incentivo à disseminação e à popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação no Pará. A publicação atual traz informações a respeito de ações, projetos e eventos realizados no segundo semestre de 2018.

O destaque desta edição é o artigo do titular da Secretaria, Alex Fiúza de Mello, que faz uma abordagem a respeito do que se denomina Sistema Paraense de Inovação (SPI). Ele apresenta uma visão panorâmica e uma demonstração factual das iniciativas que o Governo do Pará, em parcerias institucionais, vem consolidando ao longo dos últimos anos e que já se configura num efetivo sistema institucionalizado, apoiado em legislação, regulamentos, estruturas, políticas públicas e programas estruturantes adequados à finalidade de todo o empreendimento: a criação, no estado, de um ambiente favorável à inovação.

O Secretário explica que “inúmeras foram as iniciativas necessárias para se chegar ao patamar hoje alcançado, mas cuja trajetória e conquistas mereciam ser mapeadas e destacadas a fim de que se tornem, mais que legado de Governo, um patrimônio da sociedade”.

Indubitavelmente, a Amazônia (e o Pará), pela riqueza de sua biodiversidade, apresenta oportunidades e possibilidades econômicas inestimáveis, mas que só poderão se traduzir em riqueza efetiva para o seu povo na medida em que seus Governos e sociedade civil entenderem que somente o investimento em conhecimento – ciência e tecnologia – será capaz de ancorar esse impulso em favor do desenvolvimento duradouro e sustentável.

O SPI expressa um novo patamar de ambiência institucional a que se chegou, no estado, com a criação e consolidação de ferramentas de regulação e gestão mais afinadas com os desafios da inovação em território paraense.

E mais...

A revista mostra ainda que o Programa Pará Profissional recebeu, em setembro, o Prêmio “Excelência em Competitividade 2018”, na categoria Boas Práticas. A premiação é uma iniciativa nacional do Centro de Liderança Pública (CLP) que, assim, busca dar destaque a projetos que têm mudado o Brasil. De forma complementar, a matéria destaca também como ocorreu o “I Encontro Estadual de Educação Profissional e Tecnológica”, dividido em nove eventos, ocorridos em diferentes municípios e regiões de integração paraenses. O objetivo do Encontro foi avaliar as ações do Pará Profissional.

Ademais, o leitor também conhecerá melhor os projetos selecionados pelo edital de chamamento público no 006/2017, voltado a apoiar o desenvolvimento de tecnologias sociais em comunidades paraenses, por meio do Programa TecSocial. Além disso, o periódio tem uma entrevista com o diretor presidente da Organização Social BioTec-Amazônia, gestora do programa BioPará.

A 9ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, ocorrida em agosto, e os “Diálogos da Inovação”, mais uma atividade do programa InovaPará, também estão na 11ª edição da Ver-a-Ciência.  Na seção “Caso de Sucesso”, o leitor verá que o PCT Guamá já pode ser considerado um exemplo bem sucedido de ambiente de inovação no estado.

Por fim, especialmente nesta edição, a revista homenageia dois grandes nomes importantes que fazem e fizeram história para o desenvolvimento do Pará em suas áreas específicas: na seção “Memória”, a homenageada é a antropóloga Lourdes Furtado; e, na exclusiva “In Memorian”, Ver-a-Ciência faz um breve relato da imensa contribuição do engenheiro Jurandyr Garcez, falecido em julho deste ano.

Serviço: Esta e as outras edições da Ver-a-Ciência estão disponíveis AQUI. A versão impressa da revista será lançada oficialmente em evento de balanço das ações da Sectet, que será realizado no dia 28 de novembro.  

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Servidores públicos estaduais são homenageados na 11ª edição do Prêmio Servidor Nota 10

qua, 07/11/2018 - 11:43
07/11/2018

Ocorreu na noite de ontem, 06, no Teatro Margarida Schivasappa (Centur), a cerimônia de premiação da 11ª edição do Prêmio Servidor Nota 10, o qual presta uma homenagem ao funcionalismo público, premiando os servidores que mais se destacaram pelo trabalho desempenhado nos órgãos da administração direta e indireta do Estado. A premiação é uma iniciativa da Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA) e da Secretaria de Estado de Administração (Sead).

Para disputar o prêmio, os servidores se inscreveram espontaneamente ou foram indicados pelo órgão/entidade de origem no decorrer do ano. O reconhecimento é aberto a servidores públicos efetivos, estatutários não estáveis e os empregados da Administração Pública do Estado do Pará. Pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), foi eleita a servidora Valéria Freitas Souza Paiva, lotada na Coordenadoria de Tecnologias para o Desenvolvimento Social da Sectet.  

A servidora pública estadual Terezinha Medeiros, 61 anos, que trabalha há 33 na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará foi a sorteada entre 53 servidores para receber o Prêmio de Servidor Nota 10 de 2018. Ela representa os 107 mil servidores que fazem parte do quadro do Governo do Pará. Os outros servidores eleitos de cada órgão/entidade receberam R$ 500, por cheque simbólico.

Na solenidade, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, entregou o cheque simbólico à servidora Márcia Luana Moreira de Souza, que representou a servidora indicada ao prêmio, Valéria Paiva, que não pode comparecer à premiação. 

Texto: Igor de Souza, com informações da Agência Pará de Notícias

 

Categorias: Notícias

Páginas