• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:

Governo lança EnemPará e garante acesso ao conhecimento para alunos da rede estadual

Sectet - ter, 30/06/2020 - 09:56
30/06/2020

Diminuir as distâncias e garantir a integração por meio do acesso à informação e ao conhecimento. Dessa forma, o governador do Pará, Helder Barbalho, definiu a importância da plataforma EnemPará lançada na tarde desta segunda-feira (29) pelo Governo do Estado, durante live transmitida pelo Youtube e pela TV Cultura para todo o Pará. A plataforma é voltada para estudantes da rede pública de ensino que este ano concorrem a uma vaga no ensino superior por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).A iniciativa é desenvolvida em parceria pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc), com apoio do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá) e da Universidade Federal do Pará (UFPA).

“O EnemPará tem por objetivo garantir que os alunos do Pará não sejam prejudicados e que a necessidade de estarmos em distanciamento social não seja obstáculo para que os nossos alunos possam ter acesso ao conhecimento”, ressaltou o governador. A plataforma disponibiliza mais de mil videoaulas, além de simulados, exercícios, avaliações de desempenho e aulas ao vivo aos inscritos. Para a titular da Seduc, Eliete de Fátima Braga, a plataforma também possibilita, neste momento, que os alunos da rede pública tenham condições mais adequadas e competitividade na hora de concorrer a uma vaga nas universidades.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, informou que a plataforma foi concebida tendo em vista três perspectivas: a de possibilitar a realização do sonho dos alunos de acesso a uma universidade; de usar tecnologia e inovação como ferramentas pedagógicas que possibilitem o alcance da educação em todo o Pará neste momento de distanciamento social, e incorporar o ensino a distância à rede de ensino estadual. “O governo poderá usar esta experiência de educação fazendo com que a questão do acesso à tecnologia, da inovação e da educação a distância possa servir de instrumento para melhorar a qualidade de vida das pessoas, da formação das pessoas, porque a partir daí o estado poderá dar os saltos qualitativos que precisa”, complementou Carlos Maneschy.

Acesso ao EnemPará – Os interessados em ter acesso ao material da plataforma devem se cadastrar no endereço www.enempara.com. Após a análise do cadastro, o aluno receberá um e-mail com login e senha para acesso a todo o material disponível. O coordenador do Enem Pará, Yuri Santiago, informou que o programa possui um sistema de navegação simples, desenvolvido para garantir o acesso às aulas mesmo por quem mora no interior ou não dispõe de internet de qualidade.

A ferramenta também vai permitir avaliar cada aluno individualmente, recomendando, a partir do desempenho pessoal, aulas e lições específicas para corrigir possíveis falhas no processo de aprendizagem ou reforçar o ensino em temas que ofereçam maior dificuldade.

Ao final do lançamento, o coordenador Yuri Santiago e o professor Diego Maia esclareceram dúvidas de alunos de todo o estado a respeito do acesso à plataforma. As respostas às perguntas estão disponíveis em https://bit.ly/2AcS2j8

Texto: Fernanda Graim (Ascom Sectet)

Fotos: Agência Pará

Categorias: Notícias

Governo lança o EnemPará para auxiliar na preparação dos estudantes da rede pública

Sectet - sex, 26/06/2020 - 13:24
26/06/2020

O governo do estado do Pará lança nesta segunda-feira (29), o programa EnemPará - uma plataforma voltada para atender estudantes da rede pública de ensino que este ano irão lutar por uma vaga no ensino superior por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A iniciativa é desenvolvida em parceria pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá (PCT Guamá).

O lançamento do programa será feito durante uma live, às 17h, com a participação de representantes das instituições parceiras que farão a apresentação de como o Enem Pará irá funcionar e responderão às perguntas dos estudantes. “Esta é uma iniciativa inovadora que conta com a participação de professores qualificados e estratégias individuais de avaliação que resultam, entre outras coisas, em preparação de qualidade para os estudantes da rede pública enfrentarem com confiança as provas do Enem”, enfatiza o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

EnemPará – O secretário explica que o EnemPará é um portal com mais de mil vídeos-aulas exclusivas, além de textos, simulados, exercícios e aulas ao vivo. Maneschy conta que o programa veio ao encontro da necessidade de preparação dos estudantes da rede pública durante o isolamento social necessário para o enfrentamento da epidemia do novo coronavírus. 

“É uma ferramenta que mantém o aluno da escola pública dentro dos níveis de concorrência adequados para ingressar em uma universidade”, frisa o titular da Sectet. O secretário ressalta ainda que o EnemPará vem auxiliar os estudantes da rede pública, proporcionando que tenham preparação compatível com os alunos da rede privada, que tem utilizado os recursos tecnológicos e o ensino a distância para manter a rotina de estudo mesmo com a suspensão das aulas presenciais. 

Acessível – O coordenador do EnemPará, Yuri Santiago, informa que o programa possui um sistema de navegação simples e foi desenvolvido para garantir o acesso às aulas mesmo por quem mora no interior do estado ou não dispõe de internet numa velocidade superior. A ferramenta também vai permitir avaliar cada aluno individualmente, recomendando, a partir do desempenho pessoal, aulas e lições específicas para corrigir possíveis falhas no processo de aprendizagem ou reforçar o ensino em temas cuja dificuldade seja mais latente. “A avaliação de cada usuário será possível por meio de análises algorítmicas que identificarão, dentro da própria plataforma, aspectos como performance e desempenho”, diz Santiago. 

O número de alunos afetados pela crise da Covid-19 já passa de 300 milhões em todo o mundo. Dez milhões deles apenas no Brasil. No Pará, a ferramenta oferecida pelo governo do Estado chega para diminuir possíveis desigualdades durante a preparação para o Enem. Dentro de um contexto em que a rotina tem sido bruscamente alterada por fatores que fogem ao domínio de cada pessoa, o EnemPará se soma às muitas ferramentas, ações e legislações de iniciativa do governo do Estado para minimizar o impacto que o isolamento social e as demais medidas de contenção de propagação do novo coronavírus têm provocado na vida de milhões de paraenses. “Permanecer em casa não significa ter que ficar sem estudar. Principalmente para quem está na fase final de preparação para ingressar no ensino superior”, finaliza o coordenador. 

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no endereço www.enempara.com

Serviço
Lançamento da Plataforma Digital EnemPará
Dia: 29/06/2020
Hora: 17h
Endereço: gg.gg/liveenempara

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom Sectet) e Pedro Paulo Blanco (Ascom/EnemPará)

Categorias: Notícias

Desafios para a construção do maior evento online do Pará serão conhecidos nesta sexta-feira (26)

Sectet - qui, 25/06/2020 - 13:56
25/06/2020

Quatro dias de intensos debates, mais de 90 palestrantes, tudo em plataforma digital e envolvendo as várias nuances de um único tema “Em tempos de pandemia”. Os desafios para a construção do maior evento online de disseminação de pensamentos da ciência e tecnologia do estado do Pará serão conhecidos a partir das 20h desta sexta-feira, 26, durante o bate-papo com Demethrius Lucena, diretor de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet),  Walter Júnior, da Interceleri Google, e Antônio Correa, presidente da Açaí Valley. A mesa encerra o ciclo de palestras e debates promovidos pela Secretaria em alusão à Semana Estadual Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento que começou na terça-feira, 23.

O evento é realizado de forma presencial conectada, utilizando ferramentas Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá). Pesquisadores do Pará e de outros estados brasileiros realizam palestras e participam de mesas redondas a respeito de estudos, projetos, ações e reflexões sobre o combate ao novo coronavírus e tratamento da Covid-19.

O último dia de evento começa às 8h30 com a participação de Pedro Fernando da Costa Vasconcelos, Dr. Hilton Pereira, Dr. Antonio Vallinoto, Dr. Walkymário de Paulo Lemos que falam sobre as lições aprendidas com a pandemia. Às 9 horas, também tem “Espaço Maker na Escola contra a Covid-19”, com Aline Marculino de Alcantara e Suellen Ferreira Barbosa. A programação segue com João Marcelo Azevedo Santos sobre o Conselho de Jovens empresários em tempos de pandemia.

Como nos dias anteriores, manhã, tarde e noite estão preenchidas com uma variedade de assuntos envolvendo o tema central, tendo a participação ainda de Wanda Elizabeth SadeckBurlamaqui, Leonardo Silveira Villar, Antônio Costa Neto, Prof. Dr. André Walsh-Monteiro, Ivo José Paes e Silva, Billy Anderson Pinheiro, Antonio Batista Ribeiro Neto, Gleiciane Pereira Ribamar, João Estevam da Silva Costa Neto, Marília Mota, Marcelo Rocha Sá, Vitor Alves, Fábio Magalhães, Ronaldo Andrade, Vitor Hugo Auzier Lima, Bruno Gomes Dutra e Fellipy Fernando Ferreira Soares.

Entre as instituições que possuem palestrantes no evento estão: Unirio, UFPR, UFPA, Uepa, Ufra, IFPA, Sebrae no Pará, UFF, Açaí Valley, Conjove, Finep, Observatório MCFC, INPI, RV ARQ, Sírio Libanês, Associação Arapiuns, ParaTic, Interceleri, ACTA, PCT Guamá, Abipti, NDAE, CMC -OAB, SBPC, Associação dos Produtores de Leite e Queijo, Conab, Sedap, Instituto Senai de Inovação em Tecnologia Minerais, Amachains, Redescobrindo Nosso Brasil, Ufam, Anprotec, Ufopa e Fapespa.

Semana Estadual

A Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento foi instituída pela Lei 8.841, de 8 de abril de 2019, e publicada no Diário Oficial do Estado em 9 de abril de 2019.O objetivo da Lei é que a Semana venha a promover, incentivar e divulgar atividades de ciência, tecnologia e inovação, inclusive os avanços, no âmbito estadual. Devido ao isolamento social como medida fundamental para o combate à pandemia, este ano a Sectet preparou programação toda online, por meio da Diretoria de Ciência e Tecnologia (DCT).

Serviço

Para se inscrever acesse AQUI.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Alepa aprova projeto que altera o Sistema Estadual de Educação

Sectet - qui, 25/06/2020 - 10:53
25/06/2020

Em  Sessão Extraordinária realizada nesta quarta-feira (24.06) por videoconferência, os deputados discutiram e votaram em redação final  projetos para atender áreas da educação, pesca e de reconhecimento público à várias instituições sociais.        

Após algumas semanas de discussões, os parlamentares aprovaram o Projeto de lei nº 401/2019, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre alteração  na Lei nº 6.170, de 15 de dezembro de 1998, a Lei nº 7.017 de 24 de julho de 2007;, e a Lei nº 8.096 de 1º de janeiro de 2015, que entre outras atribuições, dá nova redação à legislação sobre o Sistema Estadual de Ensino,   alterando a denominação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica para Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia, Educação Superior, Profissional e Tecnológica (SECTET).

A proposição tem a finalidade de ser instrumento de superação das desigualdades interregionais, na oferta da educação superior, profissional e tecnológica nas diversas modalidades, como forma de consolidar, ampliar e verticalizar as cadeias produtivas estrategicamente vinculadas aos eixos prioritários de desenvolvimento do Estado do Pará, competências que passarão a ser da nova Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica.

Em mensagem encaminhada ao Poder Legislativo, o governador Helder Barbalho destacou que a proposta visa estimular o desenvolvimento científico e tecnológico e à inovação.  “O projeto encaminhado traz disposições específicas quanto à ampliação das funções da SECTET, sobretudo com a finalidade de planejar, coordenar, formular e acompanhar a Política Estadual de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Educação Superior, Profissional e Tecnológica, bem como promover, apoiar, controlar e avaliar as ações relativas ao desenvolvimento e ao fomento da pesquisa e à geração e aplicação de conhecimento científico e tecnológico no Estado do Pará”, ressaltou o governador.

A absorção integral da Rede de Escolas de Ensino Técnico do Estado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica ocorrerá  no prazo máximo de quatro meses, a contar da publicação da Lei. Nesse período, deverão ser celebrados entre a Secretaria de Estado de Educação e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica, os instrumentos de parceria necessários à regulação da oferta de educação superior, profissional e tecnológica no Estado do Pará.

O Conselho Estadual de Educação é constituído de 19 membros, sendo os Secretários de Estado de Educação e de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica membros natos, com quatro  educadores de notório saber e experiência comprovada na área educacional, de livre indicação do governo do Estado, e os demais 13  membros são representados por professores, pais e alunos, indicados pelo segmento.  Já os diretores do ensino profissional e tecnológico, indicados pela Secretaria.

A proposição do Poder Executivo, após várias discussões, teve três emendas aprovadas. Duas do deputado Eliel Faustino e uma da deputada Marinor Brito. 

A emenda aditiva de autoria do deputado Eliel Faustino e subscrita pelos parlamentares Alex Santiago, Dra Heloísa Guimarães, Thiago Araújo, professora Nilse Pinheiro e Michelle Begot visa regulamentar os cursos de educação profissional e tecnológico, de acordo com os termos de sua competência como o conselho interno, sujeito a aprovação do Conselho Estadual de Educação.

“Tive duas emendas aprovadas.  A primeira emenda reafirma o papel do Conselho Estadual  de Educação  na aprovação da regulamentação das unidades de ensino. A segunda,  trata da questão funcional do servidor publico, onde serão garantidos todos os direitos já existentes no vinculo funcional  à secretária de origem, normalmente a de Educação ou outra, tudo dentro da lei e atendendo ao interesse da sociedade”, afirmou Eliel Faustino.

A deputada  Marinor Brito, vice-presidente da Comissão de Educação, teve uma emenda modificativa aprovada. “A aprovação da minha emenda foi uma vitória para a educação paraense”, disse a parlamentar. 

“Gerir os fundos estaduais pertinentes à Ciência e Tecnologia, assim como aqueles que lhe forem destinados para a manutenção educacional, oriundos do tesouro estadual, de outras fontes, incluindo recursos federais que lhe sejam destinados, ou verbas originárias de outros órgãos da Administração Pública Estadual, respeitadas as legislações e normas específicas acerca dos instrumentos de parceria celebrados pelo Poder Público para fins de destinação de recursos”, diz a redação da emenda modificativa.

O presidente da Comissão de Educação da Alepa, deputado Alex Santiago, informou que o projeto passou pela Comissão e foi debatido com o segmento educacional, seguindo o Regimento da Casa. “Todo o rito legislativo foi cumprido  dentro da Comissão de Educação.  Houve discussões e teve a presença de deputados, teve até relatório. A proposição está apta para aprovação e, com certeza, a educação tecnológica avançará em nosso Estado”, destacou o deputado.

Pensando em ampliar a representatividade e contribuir para o debate no sistema educacional no Estado, o deputado Martinho Carmona apresentou emenda solicitando a inclusão de um representante evangélico no Conselho de Educação.

“Nós temos tido milhares de problemas porque os princípios familiares cristãos estão sendo constantemente atacados, e nós não podemos deixar de ter uma representação no Conselho, para exatamente contribuir com o debate. Para mostrar não apenas o nosso ponto de vista, mas à vista de todos os pontos, para que haja democracia”, argumentou. “É importante que essa expressiva fatia da sociedade esteja representada. Para ter uma ideia, nós temos dezenas de institutos teológicos de formação superior e centenas de institutos de formação média. Temos também um Conselho de Pastores que representa a nossa categoria”,  explicou Martinho Carmona.   

O deputado evangélico, Raimundo Santos, reiterou a importância do segmento ter um assento no colegiado. Para o parlamentar,  a questão não se refere à educação gospel, mas de princípios democráticos. “Quando se trata de educação gospel, não é apenas teológica, biblicamente falando, mas alcança o campo vasto da ciência, da filosofia, da história. As grandes questões levantadas pela Reforma Protestante foram  fundamentais não apenas para o mundo teológico, mas para a causa da liberdade. Essa mensagem de liberdade acabou ajudando a promover o ânimo de democracia em todo o planeta. Ora, se lá trás, a mais de 500 anos esse conhecimento já foi fundamental para a civilização mundial, quanto mais hoje, que há um debate mais organizado”,  evidenciou.     

Após o debate sobre o tema, a emenda foi retirada pelo líder do governo, Chicão, em comum acordo com os deputados evangélicos. Ficou acertado que a discussão deverá entrar em pauta em outro momento para que a classe evangélica possa ser contemplada.  

Pesca - Aprovado por unanimidade o projeto de resolução nº 9/2019,  que altera o Art.30 da resolução nº 02/94 do Regimento Interno da Assembleia Legislativa, que cria a Comissão Permanente de Pesca e Aquicultura.  O autor da proposição é o deputado Orlando Lobato.

“Tenho usado a tribuna para a importância do setor da pesca em nosso Estado, não só a pesca industrial, mas também a artesanal, que é uma atividade que congrega um grande número de trabalhadores. De toda produção pesqueira do Pará, 80% vem da pesca artesanal e 20% da industrial.  A Comissão da Pesca tem uma ampla importância, já que serão feitas ações que vão de encontro às necessidades da população”, garantiu o autor do projeto.

A pesca é considerada uma atividade econômica fundamental no Pará e contribui de forma significativa para a produção de itens como a ração animal utilizada na pecuária e na fabricação de tintas e fármacos, por meio do óleo de peixe. Entretanto, apesar de todo o múltiplo potencial a ser explorado, é ainda carente de uma política pública adequada para garantir seu maior desenvolvimento.  A aquicultura, por sua vez, possibilita produtos mais homogêneos, rastreabilidade durante toda a cadeia e outras vantagens que contribuem para a segurança alimentar, no sentido de gerar alimento de qualidade, com planejamento e regularidade.

Reconhecimento

Os deputados também aprovaram nove proposições de Utilidade Pública. As instituições declaradas com o título de utilidade pública atendem  às exigências legais, e após sancionadas pelo Poder Executivo, terão direito aos  benefícios concedidos pela legislação vigente, como participação em  programas governamentais, estabelecer parcerias e acesso à linhas de créditos.

De acordo com proposição do deputado Fábio Freitas,  Associação de Mulheres e Artesões do Estado do Pará – AMAEP, instalada em Belém, foi declarada e reconhecida  como sendo de Utilidade Pública para o Estado.

De autoria do deputado Dirceu Ten Caten, foi declarada como Utilidade Pública para o Estado, a Associação dos Usuários da Reserva Extrativista Mãe Grande de Curuçá - AUREMAG, do município de Curuçá-PA.

Por iniciativa do deputado Orlando Lobato,  a Colônia de Pescadores Z- 53, com sede em Breu Branco, foi a escolhida para receber o título de Utilidade Pública.

Apresentado pelo deputado Francisco Melo (Chicão), o Grêmio Recreativo Cultural Bloco Carnavalesco "Vemtimbora", em Colares, foi declarado para ser reconhecidos como de Utilidade Pública no Estado.

Localizado no município de Salvaterra, o “Esporte Clube Salvaterra” foi declarado e reconhecido como utilidade pública para o Estado do Pará.  A proposição é de autoria do deputado Igor Normando.

O Guarany Esporte Clube, foi definido pelo deputado Júnior Hage como sendo de Utilidade Pública para o Estado do Pará.

A deputada Paula Gomes declarou e reconheceu como Utilidade Pública para o Estado do Pará a Associação Campos – AC

Pela proposta do deputado Dr Galileu, a  Associação de Obras Sociais da Terceira Ordem Franciscana – AOSTOF, passa a ser considerada  Utilidade Pública do Pará.

Em reconhecimento aos serviços sociais que prestam em sua área de atuação, a Associação dos Moradores da Fazendinha - AMF, com sede na cidade de Moju. A iniciativa é da deputada Dilvanda Faro.

Os municípios de Abel Figueiredo e São João de Pirabas foram decretados estado de calamidade pública,  em atendimento à Lei Complementar Federal nº 101, de 4 de maio de 2000,  em decorrência do Novo Coronavírus - COVID-19.

 

Reportagem: Mara Barcellos e Andréa Santos (Alepa)

Foto: Baltazar Costa (Alepa)

Categorias: Notícias

Variedade de temas define o 3º dia do Ciclo de palestras da Semana Estadual de Ciência e Tecnologia

Sectet - qua, 24/06/2020 - 18:26
24/06/2020

Turismo, manejo florestal, tecnologias livres e arquitetura são alguns dos temas em pauta  nesta quinta-feira, 25, durante o ciclo de palestras e debates online alusivo à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento, realizado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). O evento começou na última terça-feira, 23, e vai até sexta-feira, 26, com o tema “Em tempos de pandemia” e discute estudos, projetos, ações de combate ao novo coronavírus e tratamento da Covid-19. Ele ocorre de forma presencial conectada por meio de ferramentas Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá).

No terceiro dia de debates, a programação começa às 9 horas com uma mesa redonda em que Viviane Santos Porto Martins e Claudia Beatriz Saleh falam sobre a situação do turismo pós-pandemia. Em seguida, Alison Pureza Castilho profere palestra sobre o Observatório do Manejo Florestal Comunitário e Familiar e o enfrentamento à pandemia. A programação da manhã prossegue com palestras de Marcelo Rocha, sobre tecnologias abertas e livres; de Francisco Saboya Albuquerque Neto, presidente da Anprotec, que fala sobre atuação da associação em tempos de coronavírus e após a pandemia. Além do Prof. Ms. Walter Júnior, diretor da InteceleriEdutech Google Partner; do Prof. Dr. Osvando Alves, diretor de Extensão UEPA; e do Prof. Ms. Yuri Santiago, PhD em Information Management School Universidade Nova de Lisboa que expõem as possibilidades da educação online.

No período da tarde, a partir das 14 horas, as mulheres cientistas entram em ação para debater sobre as ações extensionistas de divulgação científica. Participam da mesa: Camilla Oliveira , Alessandra de Souza Barbosa, Camila Silveira da Silva, Glaucia Pantano, Tatiana e Renata Gomes Simões. A programação prossegue com a mesa “Marcas Coletivas: perspectivas e desafios em tempos de pandemia”, em que Márcia de Pádua Bastos Tagore, Milene Dantas Cavalcante, Luciana Gonçalves de Carvalho e Niete Ana Pereira Rego debatem o tema.

A tarde do terceiro dia segue ainda com diálogos entre Universitec, Anprotec e Abipti, representadas por Gonzalo Enriquez, Francisco Saboya Albuquerque Neto, Antônio Correa e Paulo Rogério Foina. Ocorrem ainda palestras e mesas com a participação de Tatiane Vasconcelos, Presidente da CMC OAB-PA; Douglas Prado, Vice-Presidente da CMC OAB-PA; Marcelo Rocha Sá; Vitor Alves; Fábio Magalhães; Ronaldo Andrade; Walter Junior; Ana Paula Cardoso Ramos; Rafaela Verbicaro Pacheco Resque; Grasiela Rocha Ajala. Por fim, a última mesa do dia 25 começa às 20 horas com o debate sobre o tema “Atenção Primária a Saúde em tempos de Pandemia”. Participam: Yuji Magalhães Ikuta, Mário Roberto Tavares Cardoso de Albuquerque e Taynah Mayara Monteiro e Silva Riker.

Serviço

Detalhes, programação e inscrição AQUI.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Ciclo de palestras da Semana de Ciência e Tecnologia terá programação intensa nesta quarta

Sectet - ter, 23/06/2020 - 12:40
23/06/2020

Segundo dia do ciclo de palestras e debates online alusivos à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento, esta quarta-feira (24) tem intensa programação. São 22 palestras, duas mesas-redondas e uma oficina à distância. A programação é realizada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em formato presencial conectado por meio de ferramentas Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá).

O evento tem como tema “Em tempos de pandemia” e até a próxima sexta-feira (26) discute estudos, projetos, ações de combate ao novo coronavírus e tratamento da Covid-19. Nesta quarta a programação tem início às 9h e segue até às 19h. São atividades paralelas ao Açaí Valley Day, que traz assuntos especialmente pensados pela equipe da Açaí Valley - Associação Paraense de Tecnologia e Inovação, com o objetivo de incentivar o empreendedorismo inovador no estado.

Mesas - A programação deste segundo dia terá início com a mesa redonda “Tecnologia de Alimentos em favor de uma alimentação saudável, segura e disponível em qualquer tempo (inclusive em tempos de pandemia)” com a participação de Alda Cristiane de Oliveira Alves, Rosanna de Angelis Vallinoto Costa, Ana Carla Alves Pelais, Carlos Victor Lamarão Pereira, Édira Castello Branco de Andrade Gonçalves.  A segunda mesa será às 16h com o tema “Como o uso de softwares livres pode ajudar em diversas áreas em tempos de pandemia”, com Antônio Afonso, Tarcísio Lemos e José Roberto.

Palestras - As palestras serão de Gleiciane Pereira Ribamar, Rodrigo Quites Reis, Wilson Rogério Soares e Silva, André Walsh-Monteiro, Thabatta Moreira Alves de Araújo, Rogilson Nazaré da Silva Porfírio, Daniel Rodrigues Oliveira, Irene Karaguilla Ficheman, Maria de Nazaré Rodrigues Pereira Martins e Keila de Sousa Catete. A oficina será às 16h30 com orientações acadêmicas na pós-graduação (nível mestrado) em tempos de isolamento social, realizada pelo professor Haroldo de Vasconcelos Bentes

Açaí Valley Day – Terá início às 10h com a participação de Marcelo Mendonça Miranda. Em seguida vêm as palestras de Willuey Souza, Ericksom Monteiro, Isadora Azzalin, Caio Vassão, André Coelho, Amure Pinho, Carlos Nepomuceno, Lucas Alencar, Rafel Mendonça, Thiago Matsumoto. “Nosso público-alvo é diverso. Por isso escolhemos temas variados, com linguagem de fácil entendimento para todos: estudantes, professores, pesquisadores, empreendedores e empresários", enfatiza um dos diretores da Açaí Valley, Antônio Corrêa.

Serviço
Segundo dia de palestras e debates da Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento – 9h às 19h.

Detalhes, programação e inscrição AQUI

Texto: Jeniffer Galvão

 

Categorias: Notícias

Começam nesta terça-feira (23) debates referentes à Semana Estadual de Ciência e Tecnologia

Sectet - seg, 22/06/2020 - 14:18
22/06/2020

Nesta terça-feira, 23, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) dá início ao ciclo de palestras e debates em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento que vai até sexta-feira, 26. O evento, com inscrições gratuitas, ocorrerá totalmente em formato presencial conectado a partir de ferramentas online do Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá). Com o tema “Em tempos de pandemia”, o ciclo de palestras e debates levará ao público estudos, projetos, ações e reflexões sobre o combate ao novo coronavírus e tratamento da Covid-19.

A programação do primeiro dia começará às 9 horas com a palestra “Ciência, Tecnologia e Inovação e os Ecossistemas de Inovação Tecnológica em tempos do Coronavírus”, do economista e diretor da Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec), Gonzalo Enríquez. Durante o dia todo, diversos professores e pesquisadores proferem palestra, como Vania Neu, André Luiz Amarante Mesquita, Paulo Rogério Foina, Hilton Pereira da Silva, Marcio Cataldi e Felipe Lobato da Silva Costa, além de representantes da Finep.

Já para encerrar a terça-feira de debates, às 16 horas, terá início a Mesa “Indicação Geográfica enquanto instrumento de desenvolvimento e superação de crises”, com a participação de Márcia de Pádua Bastos Tagore, Sílvio Kazuhiro Shibata, Gabriela Gouvêa Moura, Karine de Almeida Sarraf Bezerra, Alexandre Miranda Ferreira e Péricles Diniz Ferreira de Carvalho. Os interessados em participar podem acessar os links que estão disponíveis na página do evento. A inscrição é necessária para quem quiser receber o certificado de participação.

Entre as instituições que possuem palestrantes no evento estão: Unirio, UFPR, UFPA, Uepa, Ufra, IFPA, Sebrae no Pará, UFF, Açaí Valley, Conjove, Finep, Observatório MCFC, INPI, RV ARQ, Sírio Libanês, Associação Arapiuns, ParaTic, Interceleri, ACTA, PCT Guamá, Abipti, NDAE, CMC -OAB, SBPC, Associação dos Produtores de Leite e Queijo, Conab, Sedap, Instituto Senai de Inovação em Tecnologia Minerais, Amachains, Redescobrindo Nosso Brasil, Ufam, Anprotec, Ufopa e Fapespa.

Semana Estadual

A Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento foi instituída pela Lei 8.841, de 8 de abril de 2019, e publicada no Diário Oficial do Estado em 9 de abril de 2019.O objetivo da Lei é que a Semana venha a promover, incentivar e divulgar atividades de ciência, tecnologia e inovação, inclusive os avanços, no âmbito estadual. Devido ao isolamento social como medida fundamental para o combate à pandemia, este ano a Sectet preparou programação toda online, por meio da Diretoria de Ciência e Tecnologia (DCT).

Serviço

Para se inscrever acesse AQUI.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Interação entre instituições de inovação e governos como estratégia contra o coronavírus

Sectet - dom, 21/06/2020 - 15:04
21/06/2020

A primeira palestra do ciclo de debates online em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento irá tratar sobre a interação entre os diversos setores da sociedade, governos e instituições de pesquisa no desenvolvimento de ações de combate ao novo coronavírus. “Em tempos de pandemia” é o tema do evento e a primeira participação será do diretor da Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec), Gonzalo Enriquez, com a palestra “A Ciência, Tecnologia e Inovação e os Ecossistemas de Inovação Tecnológica em tempos do coronavírus”, abrindo o ciclo, no dia 23/06, às 9h.

O ciclo de palestra e debates é promovido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), por meio da Diretoria de Ciência e Tecnologia (DCT), no período de 23 a 26/06, com mais de 50 atividades entre palestras e mesas redondas envolvendo cerca de 80 pesquisadores, médicos, statups do Pará e de outros estados. “O evento é extremamente interessante porque oferece possibilidade de participação massiva através da Internet, superando as dificuldades de não poder fazer com presença física por causa da pandemia”, diz Enriquez. Todas as discussões serão realizadas com a utilização das ferramentas Google e com o apoio da empresa de inovação Inteceleri.

A Universitec vem contribuindo com o esforço conjunto de combate ao novo coronavírus com a produção de equipamentos de proteção como máscaras e álcool em gel em seus laboratórios. Na palestra, Enriquez falará sobre como os diferentes ecossistemas de inovação, como startups, comunidades que lidam com biodiversidade, incubadoras de empresas, parque tecnológico, bioindústrias, instituições de ensino e pesquisa podem interagir entre si e com os governos municipais, estadual e federal para realizar ações de enfrentamento à pandemia e apoio à sociedade. Segundo Enríquez, o centro de todos esses arranjos é o conhecimento, diferente do que acontecia no passado. “Hoje, o conhecimento permite a agregação de valor aos produtos e processos. É o que gera o desenvolvimento sustentável, necessário para nossa Amazônia”, enfatiza.

Serviço
Palestra “A Ciência, Tecnologia e Inovação e os Ecossistemas de Inovação Tecnológica em tempos do coronavírus”, por Gonzalo Enriquez, diretor da Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec)
Dia 23/06/202, às 9h
Confira mais informações sobre a programação e faça sua inscrição gratuita aqui

Texto: Jeniffer Galvão

 

Categorias: Notícias

Ciência e Tecnologia no combate à Covid é tema de palestra da Abipti

Sectet - sab, 20/06/2020 - 10:22
20/06/2020

A função da ciência e da tecnologia nesse período de crise sanitária será a discussão central da palestra “Transformando ciência em tecnologia: o papel dos ICTs na solução dos desafios brasileiros”, que será realizada no primeiro dia de programação do ciclo de palestras e debates “Em tempos de pandemia”, realizado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), no período de 23 a 26 deste mês, em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento, instituída pela Lei 8.841.

O evento terá programação que será realizada de forma presencial conectada, utilizando ferramentas Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá). Pesquisadores do Pará e de outros estados brasileiros realizarão palestras e participarão de mesas redondas a respeito de estudos, projetos, ações e reflexões sobre o combate ao novo coronavírus e tratamento da Covid-19. “São apresentações e discussões fundamentais para entendermos o momento que estamos vivendo e discutirmos a importância vital da ciência, da tecnologia e da inovação em crises como essa”, destaca o diretor de Ciência e Tecnologia da Sectet, Deméthrius Lucena, coordenador do evento.

Palestra – O presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti), Paulo Foina, vai falar sobre as atribuições das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) no enfrentamento da pandemia e os desafios brasileiros. Ele destaca a importância de eventos como este para difundir na sociedade o que a ciência traz de benefícios para o país. “O Brasil é um expoente tecnológico, apesar da sociedade, dos governantes e dos legisladores não tomarem conhecimento disso”, ressalta Paulo Foina, que é físico, mestre e doutor em Computação e pós-doutor em Engenharia de Sistemas.

Como exemplo da produção tecnológica brasileira, ele destaca que existem no país empresas produzindo respiradores - que hoje estão em falta no mundo – utilizando tecnologia produzida por institutos de tecnologia brasileiros, ou seja, projetos e tecnologia nacionais. Foina faz referência às palavras do presidente da Associação Brasileira da Ciência (ABC), Luiz Davidovich, ao falar que o mundo vive hoje uma verdadeira guerra contra um inimigo invisível. “É uma guerra onde o protagonismo da ciência e tecnologia é fundamental. Não é uma guerra de armas. É uma guerra de ciência, de conhecimento. Quem vai declarar que a guerra acabou não será um general, mas cientistas quando anunciarem uma vacina contra o vírus ou um tratamento eficaz da doença”, enfatiza.

Na palestra, o presidente da Abipti, vai falar desse contexto da pandemia, do pouco conhecimento que a sociedade tem sobre a produção científica brasileira, do processo de desindustrialização do país e da importância do investimento em tecnologia e educação. “Não se pode pensar em ciência e tecnologia sem, antes, pensar em educação. Quem forma os cientistas são as universidades, são as escolas de ensino médio e fundamental, que criam nas crianças e jovens a vontade de ser cientista”.

Serviço
Palestra “Transformando ciência em tecnologia: o papel dos ICTs na solução dos desafios brasileiros”, por Paulo Foina, presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti).
Dia 23/06/202, às 11h

Confira mais informações sobre a programação e faça sua inscrição gratuita aqui.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Palestra aborda redução de doenças epidêmicas na Amazônia com tecnologias sociais

Sectet - sex, 19/06/2020 - 19:51
19/06/2020

O mundo está vivendo uma grande guerra contra um inimigo invisível, o novo coronavírus. Entre as armas para vencer essa guerra está a dupla água e sabão. Mas o que fazer quando uma parte da população só tem acesso à água de má qualidade, que pode ajudar a proliferar ainda mais não só este novo inimigo, como muitos outros que causam doenças epidêmicas? Mais uma vez, ciência e tecnologia podem trazer as soluções.

É exatamente isso que a pesquisadora e professora Vânia Neu, da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), vai mostrar durante a palestra “Meio Ambiente e doenças epidêmicas: redução de riscos por meio de tecnologias sociais”, que faz parte do ciclo de palestras e debates promovido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento. O tema do evento deste ano é “Em tempos de Pandemia”, e a programação ocorrerá no período de 23 a 26 deste mês.

A palestra será realizada às 10 h no dia 23 (terça-feira). Vânia Neu conta que vai fazer a contextualização da origem de algumas doenças e epidemias, relacionando com a questão da água de má qualidade, observada muitas vezes em comunidades ribeirinhas da Amazônia, que utilizam a água poluída dos rios para atividades do cotidiano, como cozinhar e tomar banho. Ela também vai explicar como tecnologias sociais simples podem ser alternativas para que essas famílias vivam com o mínimo de dignidade. A professora trabalha com a implantação do banheiro ecológico e do sistema de captação de água de chuva. Ambos levam saneamento e água potável para essas comunidades.

Vania Neu alerta que a pandemia pela qual o mundo está passando não será a última. “Devido ao grau de degradação que se tem dos ecossistemas, o homem fica muito próximo de uma série de patógenos. Por isso, futuramente virão outras pandemias. Mas quando se leva água e saneamento para as pessoas, elas têm condições mínimas para viver e enfrentar essa situação”, esclarece a professora que acredita que a falta de água potável e de saneamento está na origem de 90% das doenças que existem na Amazônia, principalmente no meio rural. Ela destaca ainda que, neste momento delicado, é importante que a gestão municipal garanta a água potável para a população que não tem acesso a esse serviço.

Palestras e debates - A Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento foi instituída pela Lei 8.841, de 8 de abril de 2019, com o objetivo de promover, incentivar e divulgar atividades de ciência, tecnologia e inovação, inclusive seus avanços. Devido ao isolamento social como medida fundamental para o combate à pandemia de Covid-19, este ano o ciclo de palestras e debates preparado pela Sectet, por meio da Diretoria de Ciência e Tecnologia (DCT), será todo on-line, com a utilização de ferramentas Google e apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá).

A Sectet conta ainda com a parceria das seguintes instituições: Universitec; Inteceleri/Google; Açaí Valley, Madtech; Instituto Senai de Inovação em Tecnologias Minerais (ISI-TM); a premiada professora de Robótica Educacional Keila Katete; Comissão de Mediação e Conciliação da OAB-PA (Ordem dos Advogados do Brasil); brasileiros que fazem pós-graduação em Havard e no MIT, instituições dos Estados Unidos; Natura; Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA); Clube do Drone Belém; Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova); Unimed Fortaleza (CE); Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa); Conselho de Jovens Empresários (Conjove), PCT Guamá e BioTec-Amazônia.

Serviço
Todas as informaçoes e inscrições aqui

Texto: Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Sectet realiza debates referentes à Semana Estadual de Ciência e Tecnologia

Sectet - sex, 19/06/2020 - 14:23
19/06/2020

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento, realizará o ciclo de palestras e discussões, de tema “Em tempos de pandemia’’, de 23 a 26 deste mês. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo link: http://gg.gg/Inscricao_SECTID2020

O evento em formato presencial conectado a partir de ferramentas online do Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá), mobilizará mais de 80 palestrantes e debatedores, entre pesquisadores, médicos, startups, empreendedores do Pará e de outros estados brasileiros que participarão das discussões em mesas redondas a respeito de estudos, projetos, ações e reflexões sobre o combate ao novo coronavírus e tratamento da Covid-19.

O diretor da DCT, Deméthrius Lucena, esclarece que a Sectet apoia as instituições que aderiram à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento com a estrutura necessária para a realização de palestras e mesas redondas por meio dos serviços online do Google, com apoio da Inteceleri.

Deméthrius Lucena destaca a forte representatividade do evento “Em tempos de pandemia”, referindo-se aos mais de 80 palestrantes e debatedores, de organizações e às pessoas que são vinculadas a instituições de ensino e pesquisa e até mesmo startups. “Já é considerado o maior evento online de disseminação e promoção da ciência e tecnologia do estado do Pará”.

O formulário de inscrição está dividido pela programação diária, com palestras sendo realizadas as partir das 8h30 até as 20h, num amplo leque de possibilidades para os interessados em participar.

A inscrição é gratuita e o participante pode escolher quantas palestras interessar. Lucena informa que a inscrição é necessária para quem quiser receber o certificado de participação, mas o link das palestras ficará disponível para todos.

Para acompanhar as discussões, é preciso entrar na sala virtual. “Se a sala ficar superlotada, com mais de 250 pessoas, nós abriremos o evento para o YouTube”, garantiu o diretor.

A Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento foi instituída pela Lei 8.841, de 8 de abril de 2019, e publicada no Diário Oficial do Estado em 9 de abril de 2019.

A legislação objetiva promover, incentivar e divulgar atividades de ciência, tecnologia e inovação, inclusive os avanços, no âmbito estadual. Devido ao isolamento social como medida fundamental para o combate à pandemia, este ano a Sectet preparou uma programação toda online, por meio da Diretoria de Ciência e Tecnologia (DCT).

Instituições com palestrantes no evento: Unirio, UFPR, UFPA, Uepa, Ufra, IFPA, Sebrae no Pará, UFF, Açaí Valley, Conjove, Finep, Observatório MCFC, INPI, RV ARQ, Sírio Libanês, Associação Arapiuns, ParaTic, Interceleri, ACTA, PCT Guamá, Abipti, NDAE, CMC -OAB, SBPC, Associação dos Produtores de Leite e Queijo, Conab, Sedap, Instituto Senai de Inovação em Tecnologia Minerais, Amachains, Redescobrindo Nosso Brasil, Ufam, Anprotec, Ufopa, Fapespa, entre outros.

Serviço

Acesse o link para se inscrever nas palestras, acesse aqui.

Para informações completas acesse o site do evento.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Curso EAD

Sectet - seg, 15/06/2020 - 16:36
15/06/2020

Inscrições abertas para curso “Aperfeiçoamento da Linguagem para Comunicação no Mundo do Trabalho”

Estão abertas as inscrições para o curso “Aperfeiçoamento da Linguagem para Comunicação no Mundo do Trabalho”, promovido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), por intermédio da Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica, com o objetivo de qualificar profissionais e estudantes interessados em desenvolver ou aperfeiçoar as habilidades comunicativas para as práticas laborais e sociais.

O curso é gratuito e será ofertado na modalidade a distância, em Ambiente Virtual de Aprendizagem/Plataforma Moodle, com flexibilidade e comodidade para o aluno estudar a qualquer hora. O curso é autoinstrucional, sem tutoria, e  oferecerá oportunidade de certificação para os que concluírem os créditos. Para aprovação no curso, o aluno deverá obter conceito mínimo de 60% de aproveitamento nas atividades. Os candidatos deverão possuir nível médio completo.

Os interessados podem se inscrever a qualquer momento pelo AQUI, pois não há prazo de inscrições.

Categorias: Notícias

Acordo

Sectet - qui, 11/06/2020 - 11:31
11/06/2020

BioTec-Amazônia assina acordo de cooperação com CNPEM 

A Associação BioTec-Amazônia assinou acordo de cooperação com o Centro Nacional de Pesquisa em Energias e Materiais - CNPEM. O CNPEM é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O acordo destaca a reconhecida competência que existe na associação e ressalta a importante articulação que vem sendo realizada pela BioTec com diversas entidades nacionais, já que essa é primeira instituição de pesquisa da região Norte a assinar acordo de cooperação com o CNPEM.

A BioTec-Amazônia já realizou assinatura de Acordos de Cooperação com Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação e Secretarias de Estado. As entidades, assinantes do termo, estabeleceram, entre outros, o objetivo de contribuir com a governança inovadora e articulação estratégica, auxiliando a BioTec-Amazônia a articular com os diferentes segmentos (lideranças empresariais, acadêmicas e de governo). Além disso, podem contribuir para a prospecção e atração de novos negócios para o Parque de Ciência e Tecnologia promovendo e incentivando, juntamente com a OS, a participação em eventos,fóruns e vitrines de invenções de potenciais investidores.

 

Categorias: Notícias

Seleção dos inscritos para o curso técnico em saúde bucal continua suspensa

Sectet - seg, 08/06/2020 - 12:48
08/06/2020

ATENÇÃO: Informamos que a segunda fase de seleção dos inscritos para o curso técnico em saúde bucal continua suspensa devido às orientações de combate ao novo Coronavírus que determinam o distancimanto social, tendo em vista que tal fase envolvia entrevistas presenciais com os candidatos. Destacamos que o processo de seleção é realizado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), executora do curso, portanto um novo cronograma só será divulgado após o retorno das atividades pela instituição. Fique atento ao nosso site e redes sociais!

Categorias: Notícias

Finep-MCTIC investe mais R$ 132 milhões em tecnologias para combate à Covid 19

Sectet - qua, 03/06/2020 - 11:50
03/06/2020

Em mais uma iniciativa destinada ao enfrentamento do novo coronavírus, a Finep – Financiadora de Inovação e Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) acaba de disponibilizar, por meio de edital, R$ 132 milhões para o desenvolvimento de três linhas de pesquisa que ajudem no combate à pandemia. Os recursos, de subvenção econômica, serão destinados a empresas brasileiras de todos os portes que atuem, preferencialmente, em parceria com uma Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT).

Do total a ser investido, R$ 80 milhões vão apoiar soluções inovadoras em ventiladores pulmonares mecânicos e equipamentos suplementares de suporte a vida de pacientes acometidos pela doença; R$ 35 milhões serão aplicados no desenvolvimento de testes diagnósticos e biosensores, reagentes e insumos associados; e os R$ 17 milhões restantes vão financiar máscaras de proteção, equipamentos e sistemas de descontaminação, desinfecção e esterilização.

“O nosso foco é a proteção de equipes da cadeia de atendimento médico-hospitalar, a redução da dependência internacional e o desenvolvimento de equipamentos para a retomada das atividades pós-pandemia”, disse o diretor de Inovação da Finep-MCTIC, Alberto Dantas.

Com o novo edital, a Finep-MCTIC espera apoiar a incorporação de novas soluções tecnológicas, baseadas em nanotecnologia, materiais avançados, indústria avançada, inteligência artificial, Internet das Coisas, biologia sintética, além de outras que se mostrarem promissoras para adição de funcionalidades aos equipamentos, partes, peças e insumos específicos para a Covid-19.

“Apenas com investimento em pesquisa, desenvolvimento e inovação em componentes críticos para ventiladores pulmonares - válvulas proporcionais, sensores de fluxo, sensores de pressão e filtros trocadores de calor e umidade, vamos conseguir reduzir a dependência do Brasil por tecnologias desenvolvidas em outros países”, afirmou o diretor.

A empresa interessada poderá solicitar à Finep-MCTIC o valor mínimo de R$ 500 mil e o máximo de R$ 5 milhões. Será obrigatória a apresentação de uma contrapartida financeira, que poderá variar entre 10% e 100% do valor a ser financiado, dependendo do porte da empresa.

Na análise do mérito, o Comitê de Avalição levará em conta o grau de inovação da proposta, o risco tecnológico, o impacto esperado e o tempo previsto para disponibilização do produto no mercado.

As propostas deverão ser encaminhadas à Finep-MCTIC por meio eletrônico até o dia 21 de junho próximo. Para isso, deverão preencher o Formulário de Apresentação de Proposta (FAP), que estará disponível no site da Finep-MCTIC a partir do dia 5 de junho. O resultado preliminar está previsto para o dia 1º de julho e o resultado final, no dia 31 de julho.

Para mais informações entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente no email sac@finep.gov.br

Fonte: Finep

Categorias: Notícias

Inscrições para o Startup Pará são prorrogadas até 31 de julho

Sectet - sex, 29/05/2020 - 14:52
29/05/2020

A Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) prorrogou o prazo para submissão de propostas ao Programa Startup Pará, iniciativa de fomento ao empreendedorismo paraense.  O prazo que se encerraria neste sábado (30/05) foi prorrogado até o dia 31 de julho/2020. O Startup Pará é um programa do Governo do Estado desenvolvido pela Fapespa, em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad). Confira as novas datas na Portaria N° 097/2020.

“A prorrogação das inscrições e as demais mudanças no cronograma do programa se fazem necessárias diante das circunstâncias especiais que estamos vivendo, impostas pela pandemia do novo coronavírus. O programa será mantido e se faz ainda mais importante nessa nova realidade”, enfatiza Maria Trindade, coordenadora do Startup Pará. Ela destaca que ideias e iniciativas inovadoras são fundamentais para enfrentar a realidade que virá pós-pandemia .

Programa – O Startup Pará teve o edital lançado pelo Governo do Estado no início de fevereiro deste ano e irá selecionar dez propostas em cada uma das duas modalidades do programa. Os empreendedores selecionados receberão capacitação, treinamento, mentoria e apoio financeiro.  

A modalidade “Novos Negócios” é voltada a projetos de processos ou produtos inovadores, com potencial para se transformar em empreendimentos que incorporem novas tecnologias. A modalidade “Aceleração” abrange propostas que já tenham um produto ou que já disponham de clientes, mas que necessitam alavancar as vendas e/ou acelerar seu negócio a partir de assistência técnica especializada.

As propostas nas duas modalidades devem estar dentro das áreas temáticas do programa que são: educação; energia; mineração; saúde e qualidade de vida do cidadão; Govtech (Inovação na Administração Pública); Agrotech, com destaque para agroindústria e piscicultura; biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); inteligência artificial; e logística.

Investimento - Serão destinados recursos no valor global de aproximadamente R$ 3,5 milhões sendo investidos até R$ 2,8 milhões diretamente nas propostas. Para a modalidade “Aceleração”, as propostas devem ter valor de até R$ 200 mil e para a modalidade “Novos Negócios”, as propostas devem ter valor de até R$ 80 mil, perfazendo um total máximo de investimento de R$ 2,8 milhões. Os demais recursos financeiros serão utilizados no desenvolvimento do programa.

Todas as informações sobre o Startup Pará estão no site www.startuppara.fapespa.pa.gov.br, onde também podem ser feitas as inscrições.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Estudo aponta estabilidade dos casos da Covid-19 na Região Metropolitana de Belém

Sectet - seg, 25/05/2020 - 09:40
25/05/2020

Os números de casos confirmados e casos de óbitos causados pela Covid-19 na Região Metropolitana de Belém alcançaram o nível de estabilidade e apresentam tendência de queda. É o que afirma um estudo realizado pelas Universidades Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Federal do Pará (UFPA) com apoio do governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e da Fundação Amazônia de Apoio a Estudos e Pesquisas (Fapespa). O último Relatório Técnico do estudo foi divulgado neste sábado (23/05).

O titular Sectet e presidente da Fapespa, Carlos Maneschy, ressalta que o estudo é uma contribuição científica que possibilita ao governo tomar as medidas necessárias, ajustando e direcionando os recursos para as áreas onde há maior necessidade. “As últimas projeções estatísticas feitas para a região metropolitana apontam que está começando um período de estabilidade no número de contágio e óbitos decorrentes da Covid-19. Mostramos as tendências e projeções ao governo que a partir daí pode tomar suas decisões”, enfatiza o secretário, que também participa do grupo de pesquisa.

O reitor da Ufra, Marcel Botelho, destaca que o grupo de pesquisa havia feito uma previsão no início de abril mostrando que o pico da doença seria entre final desse mês e início de maio. “Essa previsão se concretizou. Nós rodamos o modelo epidemiológico novamente e verificamos que o pico da doença foi entre 20 de abril e primeiro de maio. Os dados confirmados já mostram essa tendência de curva e o modelo rodado também mostra essa tendência de queda no número de casos e no número de óbitos”.

Pesquisa – O estudo é realizado por uma equipe interdisciplinar formada por profissionais das áreas da Saúde, Engenharia, Biologia Computacional, Modelagem Matemática e Inteligência Computacional. Sob a coordenação da Pró-Reitoria de Extensão da Ufra, a pesquisa utiliza a inteligência artificial para criar Redes Neurais Artificiais (RNA’s), que são processamentos de dados e softwares de computador. “Por uso de inteligência artificial, no uso de algoritmos de aprendizagem, as RNA’s modelam um fenômeno da realidade em funções matemáticas e assim podem estimar sobre fenômenos desconhecidos como é o caso do coronavírus”, explica o pró-reitor adjunto de extensão da Ufra, Jonas Castro.

As Redes Neurais da pesquisa recebem informações a partir dos dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) sobre os casos confirmados da doença e número de mortes, além de informações sobre o sistema de saúde, como número de leitos de UTI, quantidade de profissionais, taxa de ocupação de leitos, etc. O estudo também identificou os padrões comportamentais da sociedade.

O primeiro estudo realizado fez uma previsão de curto prazo dos casos de contágio e letalidades para um período de 30 dias, a contar de 18 de março, data da primeira ocorrência de COVID-19 no estado. Segundo o relatório, no segundo momento, visando uma maior precisão das previsões, o modelo foi reajustado para estimativas de sete dias. Os resultados estão relacionados no Projeto de Extensão Universitária “Informes sobre o Comportamento da COVID-19 utilizando Modelagem Matemática e Inteligência Computacional no estado do Pará”, que já tem dois boletins publicados, disponíveis no endereço <https://proex.ufra.edu.br/boletimcovidufra.

Ações administrativas – O pró-reitor da Ufra, Jonas Castro, destaca que o estudo é baseado em dados reais, por isso as previsões são afetadas pelo comportamento da população em relação ao isolamento social. “Quanto maior o isolamento social, menos pessoas contaminadas e, consequentemente, menor o número de mortes. Também influenciam no resultado previsto as ações tomadas pelo governo na área da saúde”, ressalta o professor.

Isso está comprovado no relatório divulgado recentemente quando o número real de óbitos foi menor que o previsto no período de 15 a 20 de maio. Os pesquisadores apontam no relatório que essa redução reflete o resultado de ações tomadas pela administração pública, “como a transformação dos serviços na policlínica para o atendimento exclusivo para a COVID-19 e a abertura do Hospital Regional Abelardo Santos para pronto atendimento de porta aberta, nos quais além do atendimento médico foram também disponibilizadas medicações para o tratamento da doença em situações que não requeressem internação”.

O professor Jonas Castro informa que com o apoio da Sectet e da Sespa agora o estudo irá fazer projeções para as microrregiões do estado e começar a trabalhar também com os números os municípios.

O estudo pode ser lido na íntegra AQUI.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Imagens: Agência Pará

Categorias: Notícias

Fique atento ao prazo para a inscrição no edital do Programa Startup Pará

Sectet - sab, 23/05/2020 - 09:38
23/05/2020

Um dos principais diferenciais de programas de incubação e aceleração é a oportunidade dos empreendedores participantes e estarem em contato com profissionais experientes, mentores e especialistas.

O convívio, a troca de experiência e o conhecimento encurtam distâncias, agregam valor aos projetos e entrega insights valiosos para o sucesso do negócio de cada iniciativa nascente.

E esta é uma das propostas do Startup Pará, maior programa de apoio a empreendimentos de base tecnológica já realizado no estado.

As inscrições para o Edital 002/2020 vão até o dia 30 de maio, fique atento para não perder o prazo.

O Programa Startup Pará visa estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no estado, a partir de um amplo trabalho de qualificação dos projetos e empresas selecionadas, que receberão consultoria especializada, assessoria em aspectos financeiros, jurídicos, de marketing, entre outros, bem como mentorias personalizadas.

Ao final do programa, os participantes poderão receber apoio financeiro não oneroso. Estão disponíveis para o programa R$ 2.800.000,00, sendo que até 10 (dez) propostas de ideias/projetos inovadores, na Modalidade Novos Negócios, poderão receber até R$ 80 mil por projeto, e até 10 (dez) empresas, na Modalidade Aceleração, poderão receber até R$ 200.000,00 por projeto.

O programa é uma realização da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica – SECTET, por meio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas de Amparo a Estudos e Pesquisas – FAPESPA, e da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração – SEPLAD, que integra os esforços do Governo do estado para impulsionar setores estratégicos da economia local, utilizando a criatividade paraense para gerar renda e empregos.

Serviço:
Edital nº 02/2020 – STARTUP PARÁ - APOIO À ESTRUTURAÇÃO DE AMBIENTES PROMOTORES DE INOVAÇÃO DE BASE TECNOLÓGICA NO ESTADO DO PARÁ
Inscrições até 30 de maio de 2020
Submissão de proposta pelo https://startuppara.fapespa.pa.gov.br/
Informações: startuppara@fapespa.pa.gov.br 

Categorias: Notícias

Sectet promove semana com programação toda transmitida pela Internet

Sectet - qui, 21/05/2020 - 12:48
21/05/2020

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realizará, no período de 23 a 26 de junho de 2020, a 2ª Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento com o tema “Em tempos de pandemia”.

Sob a coordenação da Diretoria de Ciência e Tecnologia (DCT), o evento será realizado de forma presencial conectada, utilizando ferramentas Google, com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá.

“Serão utilizadas streams individuais ou em grupo, integradas com o Youtube e o Facebook, para que os inscritos na programação acompanhem as palestras, mesas redondas, seminários e demais atividades da Semana”, explica o diretor da DCT, Deméthrius Lucena.

Haverá ainda a possibilidade de apresentação de slides e envio de material. Para controle da audiência, os participantes preencherão um formulário e no final das palestras o sistema irá gerar os certificados automaticamente. 

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, destaca que toda a programação da Semana será voltada para a divulgação e discussão de ações, pesquisas e tecnologias que vêm sendo desenvolvidas e utilizadas para o enfrentamento e mitigação dos efeitos da pandemia do novo coronavírus.

“Nesse período em que a realidade nos impõe desafios, a ciência nos mostra caminhos, por meio da tecnologia e inovação, para seguirmos o projeto de desenvolvimento social e econômico para o estado, preservando o bem maior de todos que é a vida”, enfatiza o secretário. 

Parceiros – O diretor Deméthrius Lucena explica que está em plena fase de contato com os parceiros que farão parte da programação. “Estamos em contato com instituições públicas e privadas para disponibilizar ao público a maior amplitude possível de informações sobre as ações que estão sendo desenvolvidas durante a atual pandemia”, reforçou. 

Ele informa que até o último dia 19, já haviam confirmado participação as seguintes instituições e profissionais: Universitec; Inteceleri/Google; Açai Vallei, Madtech; Instituto Senai de Inovação em Tecnologias Minerais (ISI-TM); a premiada professora de Robótica Educacional Keila Katete; Comissão de Mediação e Conciliação da OAB-PA; brasileiros de pós-graduação de Havard e MIT; Natura; Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA); Clube do Drone Belém; Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova); Unimed Fortaleza (CE); Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa); Conselho de Jovens Empresários (Conjove), PCT Guamá e BioTec-Amazônia.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Campanha “Pesquise na Quarentena” vai divulgar trabalhos de bolsistas de iniciação científica

Sectet - qua, 13/05/2020 - 10:23
13/05/2020

A Fundação Amazônia de Amparo à Estudos e Pesquisas (Fapespa) tem tradição em apoiar e incentivar os bolsistas de iniciação científica. Pensando nisso e aliado ao cenário de isolamento social por conta da pandemia do Coronavírus (COVID-19), a campanha “Pesquise na Quarentena” foi criada para incentivar os bolsistas de iniciação científica a apresentarem resultados preliminares dos planos de trabalho de projetos que fazem parte, enquanto as atividades das universidades estão suspensas.

Coronavírus - O ano de 2020 iniciou-se com a notícia do aparecimento de um novo vírus, o COVID-19, que causa doença respiratória, potencialmente grave em alguns indivíduos. O Coronavírus é altamente contagioso e se espalhou muito rápido, sendo decretado pela ONU como Pandemia. Para conter a proliferação, muitas atividades e serviços estão parados desde o mês de março, incluindo escolas e universidades. Neste mês de maio, foi iniciado no Pará um lockdown, tornando obrigatória a paralisação de serviços e o isolamento social em casa.

Pesquise na Quarentena - Por isso, a Assessoria de Comunicação da Fapespa (Ascom), em parceria com a Diretoria de Operações Técnicas (DITEC), e a Coordenadoria de Bolsas (COBOL), criou a campanha “Pesquise na Quarentena”, que vai coletar e divulgar resultados preliminares das atividades dos projetos que os bolsistas participam.

Serão selecionados aproximadamente 500 (quinhentos) podcast de alunos que estejam inseridos em projetos de pesquisas de Iniciação Científica em andamento nas universidades UFPA, UEPA e UNIFESSPA, e que a Instituição possua Convênio ou Termo de Cooperação com a FAPESPA nos anos de 2019 e 2020.

Como participar - O pesquisador deverá gravar e enviar um podcast contando os principais resultados preliminares obtidos durante o andamento do projeto, com a supervisão e aprovação do orientador.

A submissão do podcast deve ser feita até o dia 29 de maio de 2020, junto com os dados do bolsista e informações dos objetivos do projeto e do plano de trabalho, por meio de preenchimento de um formulário online.

Link do Formulário que deve ser preenchido:  https://bit.ly/2xEtP40

Deverá ser enviado:

Nome do bolsista;
 Nome e nr do Edital da Instituição
Nome e nr do Edital da FAPESPA
Nome da Instituição;
Nome do Orientador do projeto;
Título do projeto;
Nome do Plano de trabalho;
Objetivo do projeto em cinco linhas;
Objetivo do plano de trabalho em cinco linhas;
Anexar (Gravar) um podcast de 1 minuto e 20 segundos (comentar os resultados preliminares do projeto), através da plataforma Google Podcast.
 

Texto - Elizandra Ferreira

Categorias: Notícias

Páginas