• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:

Certificação cursos TerPaz

Sectet - sex, 24/01/2020 - 15:37
24/01/2020

Dia: 28/01/2020 
Hora: 9h
Local: Teatro Waldemar Henrique

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realiza na próxima terça-feira (28), a cerimônia de entrega dos certificados dos cursos ofertados por meio do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz) em 2019. Todas as pessoas que concluíram os cursos do projeto “Formação Inicial e Continuada para Jovens e Adultos” receberão a certificação do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), instituição que ministrou os treinamentos. A cerimônia será no Teatro Waldemar Henrique (Av. Presidente Vargas, 645), às 9h.

Foram concluídos 10 cursos nos sete bairros que recebem as ações do TerPaz: Benguí, Cabanagem, Guamá, Jurunas e Terra Firme, em Belém; Icuí, em Ananindeua; e Nova União, em Marituba. “Receberão os certificados cerca de 250 moradores dos territórios. Pessoas que receberam formação que lhes permite melhorar sua empregabilidade ou mesmo criar seus pequenos negócios”, destaca Karoline Lima, gerente de Coordenação de Formação Inicial e Continuada (CFIC), da Sectet.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

GT sobre Identificação Geográfica traça plano de ação para 2020

Sectet - qui, 23/01/2020 - 15:47
23/01/2020

O Grupo de Trabalho responsável pela identificação de novos produtos paraenses que têm potencial para requerer o registro de Indicação Geográfica (IG) realizou a primeira reunião do ano de 2020 nesta quarta-feira (22), no auditório da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Sectet). O GT integra o Fórum Técnico Estadual de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas do Estado do Pará, composto por 31 instituições públicas e privadas.

O fórum foi criado em 2016 pelas Secretarias de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e de Turismo (Setur) para manter em permanente discussão a indicação geográfica dos produtos paraenses. No ano passado o Fórum criou quatro grupos de trabalho para dinamizar as ações do órgão. A Sectet compõe o GT “Identificações de novos processos por meio da definição de metodologia a partir das recomendações do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI)”.

Além da Sectet, Sedap e Setur, fazem parte do GT o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Pará (Sebrae-PA) e a FMB Advocacia.

O diretor de Ciência e Tecnologia da Sectet, Demethrius Lucena, recebeu os representantes das instituições, que juntas definiram o plano de ação do GT para o ano de 2020. O diretor reafirmou o apoio da Sectet às ações do Fórum e sugeriu a realização de um evento sobre Indicação Geográfica dentro da Semana de Ciência e Tecnologia e da Feira Estadual de Ciência e Tecnologia, realizadas anualmente pela secretaria.

IG - O registro de Indicação Geográfica (IG) é conferido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de distingui-los de similares disponíveis no mercado.

A Associação Cultural e Fomento Agrícola de Tomé-Açu (ACTA) foi a primeira a receber uma IG no estado do Pará, sendo reconhecida pelo cacau produzido no município. Estão em processo de registro de denominação o queijo de leite de búfala, da Ilha de Marajó, e a farinha de Bragança.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom Sectet) com informações da DCT/Sectet
Fotos: DCT/Sectet

Categorias: Notícias

Agentes do projeto “Meu Endereço” participam do terceiro módulo de formação

Sectet - qua, 22/01/2020 - 17:32
22/01/2020

O projeto “Meu Endereço, lugar de paz e segurança social” realiza esta semana o terceiro módulo do curso “Formação de Agentes de Cadastramento”, direcionado às pessoas selecionadas para participar do projeto. O “Meu Endereço” é um projeto desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) e faz parte das ações do programa Territórios Pela Paz (TerPaz), do governo do estado.

O terceiro módulo foi iniciado nesta segunda (20) e será encerrado na sexta (24), com as aulas teóricas sendo realizadas na Seccional do Guamá. Participam os 21 moradores selecionados no ano passado. São três pessoas por cada bairro: Benguí, Cabanagem, Guamá, Jurunas e Terra Firme, em Belém; Icuí, em Ananindeua; e Nova União, em Marituba.

As aulas teóricas são realizadas em dias alternados com o treinamento prático, que acontece durante as visitas técnicas às famílias. “Neste módulo estamos vendo como elaborar o parecer técnico sobre as questões de habitabilidade, condições da estrutura física da residência e segurança geral do imóvel”, explica a coordenadora do projeto, Myrian Cardoso.

Percepção – Nesta quarta-feira (22), depois de assistir à apresentação da coordenadora do “Meu Endereço”, os participantes foram divididos em quatro equipes, que passaram a avaliar fotografias de uma das residências das famílias que são atendidas pelo projeto. Em seguida, cada grupo apresentou o que conseguiu identificar nas condições dos imóveis.

Caio Tavares, do bairro do Jurunas, foi um dos porta-vozes da equipe dele. O primeiro aspecto levantado pelo grupo foi a fiação elétrica exposta, pendurada na parede de madeira. “A fiação está exposta, próxima a sacos plásticos colocados nos vãos da madeira. É um risco muito grande de incêndios, que infelizmente são comuns na nossa cidade”, identificou Caio e sua equipe.

Gabriela Santos, da Terra Firme, chamou atenção para as frestas entre as tábuas, destacando que a água da chuva pode contribuir para que haja curtos-circuitos. As equipes também destacaram a inexistência de acessibilidade, já que a moradora apresentava dificuldade de locomoção, pois usava uma muleta. Clemilton Nogueira Júnior, do Jurunas, mostrou que a equipe dele também detectou o risco de doenças, já que ratos e animais peçonhentos poderiam entrar facilmente no local.

Módulos – Em 2019 foram realizados dois módulos do curso de agente de cadastramento. O primeiro foi sobre as noções gerais de cidadania e direito à cidade. No segundo, os participantes aprenderam como fazer o levantamento de informações físico sociais das residências. Depois do módulo que está sendo realizado esta semana, os agentes de cadastramento voltarão às aulas teóricas no período de 29 a 31/01, para aprender como se faz a sistematização das informações levantadas.

Myrian ressalta que as etapas são realizadas sempre de forma correlacionadas. “Vamos realizando a formação teórica ao mesmo tempo em que realizamos as visitas às famílias. Desta forma, os agentes vão aprimorando a teoria com a prática e vice-versa”. Ela informa que serão realizadas visitas em pelo menos 500 famílias cadastradas pelo projeto nos territórios. “As famílias que apresentarem condições mais urgentes terão prioridade no auxílio técnico e tecnológico oferecido pelo projeto”, destaca a coordenadora.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Erlon Modesto (estagiário de publicidade Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Prodepa apresenta ao MP ferramenta de empoderamento e empreendedorismo feminino

Prodepa - seg, 20/01/2020 - 18:33
20/01/2020 - 18:30

 

A Prodepa reúne nesta terça-feira (21) com a direção do Ministério Público do Estado para apresentar o protótipo do SIV Mulher Empoderamento, módulo que integra o SIV Mulher, apresentado em novembro passado pela Prodepa e que ainda está em desenvolvimento.
Pelo app, de fácil acesso, seguro e confidencial, a mulher que já sofreu violência vai poder escolher cursos oferecidos por diversas entidades (universidades, órgãos do governo, ongs, etc) para ficar apta a empreender e sair da situação de dependência que muitas vezes se mantêm em relação ao seu agressor.

 

Categorias: Notícias

Prodepa e SUDAM alinham projetos do PRDA 2020-2023

Prodepa - seg, 20/01/2020 - 18:19
20/01/2020 - 18:15

 

Representantes da Prodepa e Sudam reuniram na última sexta-feira (16) para alinhar ações para a execução dos Projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação sob a responsabilidade da Prodepa no Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA) 2020-2023.

Dentre os 15 (quinze) Projetos selecionados para o Estado do Pará, que totalizam um montante de recursos na faixa de R$ 17, 5 bi, estão 2 Projetos da Prodepa, num montante previsto de R$ 87 milhões para 4 anos.

Os projetos são da maior relevância para o Estado do Pará e para o Norte do País. “Eles preveem conectividade em banda larga, integração de infraestruturas, capacidade computacional e sistemas de informação e aplicativos que tornarão o governo do Estado do Pará ainda mais digital, interligando todos os municípios paraenses e conectando o Estado às principais infovias do Norte do País”, diz Brandão.

Os projetos são “Rede de comunicação de dados - conectividade em banda larga para os 144 municípios do Estado do Pará e integração com outros estados e infovias da Amazônia”; e “ Governo Digital - Sistemas, aplicativos, ferramentas e soluções tecnológicas, Infra-estrutura e nuvem computacional para o Governo estadual”.

Os projetos do PRDA estão alinhados ao PPA Estadual 2020-2023 e os recursos serão provenientes dos governos estaduais, federais, fundos constitucionais e emendas parlamentares.

Pela Sudam participaram Flávio Rodrigo Reis Blanco, coordenador de Elaboração e Avaliação dos Planos de Desenvolvimento e Benedito Barros Caldas, coordenador de Elaboração, Monitoramento e Avaliação dos Planos e Programas de Desenvolvimento

Pela Prodepa participaram, além do presidente Marcos Brandão, os diretores Fernando Folha (DTC); Luiz Guedes de Oliveira (DPE); Gustavo da Costa (DDS) e as analistas de sistemas Ana Valéria Prata de Almeida e Leila Daher.

 

Categorias: Notícias

Abertas as inscrições para o Prosel Uepa/Forma Pará 2020

Sectet - seg, 20/01/2020 - 18:13
20/01/2020

Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo Especial da Universidade do Estado do Pará (Uepa) para o preenchimento de vagas nos cursos de Ciências Naturais (Habilitação em Química Licenciatura), no município de Bagre; e Enfermagem (Bacharelado), no município de Curuçá. Os cursos são ofertados pelo governo do estado por meio do projeto Forma Pará, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), em parceria com instituições de ensino superior e prefeituras municipais.

As inscrições devem ser feitas no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) até o dia 30 de janeiro. O edital completo e o formulário de inscrição estão disponíveis no site www.portalfadesp.org.br. A taxa de inscrição é de R$ 50,00.

Os candidatos às 50 vagas de cada turma responderão a 35 questões objetivas da prova de seleção que será realiza no município onde o curso será ofertado, no dia 09 de fevereiro/2020, de 8h às 12h.  Há reserva de vagas para candidatos que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública e o edital prevê ainda bônus de 10% na pontuação dos candidatos que tenham cursado pelo menos um dos anos, ou esteja cursando o último ano, do ensino médio no município em que o curso está sendo ofertado.

“Com essa medida (o bônus), o processo seletivo busca cumprir o principal objetivo do Forma Pará que é dar oportunidade para as pessoas que moram nos municípios ou em localidades vizinhas”, explica a secretária adjunta da Sectet e gestora do projeto, Edilza Fontes.

Confira o edital e acesse o formulário de inscrições aqui.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Famílias cadastradas no ‘Meu Endereço’ começam a receber visitas técnicas

Sectet - dom, 19/01/2020 - 15:01
19/01/2020

Waldomira de Souza Fonseca e Maria Lúcia Mendes da Silva, moradoras do bairro da Cabanagem, em Belém, receberam nesta sexta-feira uma visita especial. A equipe do “Meu Endereço – lugar de paz e segurança social”, um dos projetos desenvolvidos pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) dentro do Programa Territórios Pela Paz, iniciou as visitas técnicas aos moradores que estão cadastrados no projeto, realizado em parceria com a Universidade Federal do Pará.

“As visitas são realizadas para levantar as informações gerais sobre o imóvel e a situação das famílias. São necessárias para que possamos avaliar de que forma o projeto poderá contribuir para melhorar as condições de moradia das pessoas”, explica o vice-coordenador do “Meu Endereço”, Renato Neves.

A equipe é formada por um agente de cadastramento, um engenheiro, um assistente social, um bolsista e um supervisor do projeto no bairro. São levantadas as informações sociais da família, feita a medição da casa e do terreno, entre outras. 

“Anotamos tudo que é importante para embasar os laudos técnicos e encaminhamentos que serão feitos para programas e órgãos que poderão contribuir para realizar as melhorias necessárias”, esclarece a supervisora do projeto no bairro da Cabanagem, Maria de Jesus Evangelista.

Confiança – A primeira a receber a visita foi a família de Waldomira Fonseca, uma senhora de 66 anos de idade que apesar das dificuldades da vida não perde o bom humor. Sempre sorrindo e brincando, ela recebeu a equipe e mostrou todos os problemas da sua casa de aproximadamente 15 metros de comprimento e cinco de largura, paredes de madeira, sem divisórias internas, onde mora com duas filhas e dois netos.

A renda da família vem das diárias que ela e uma das filhas fazem em casas de família. Dona Wal não teve oportunidade de estudar e com muito esforço criou os cinco filhos. O marido dela faleceu há cerca de um ano. “Ele não estava trabalhando nos últimos anos. Ficava em casa cuidando das coisas enquanto eu ia trabalhar”, conta. Foi o marido quem fez o piso da casa, que ela procura regularizar por meio do projeto.

A família está cadastrada no programa “Cheque Moradia” há cerca de seis anos, mas ainda não conseguiu recursos para construir a casa de alvenaria. Dona Wal está animada com a chegada das ações do TerPaz no bairro, onde mora há cerca de 40 anos. Generosa, ela diz que torce pelo melhor para todos os moradores. “Espero que possa melhorar cada vez mais o nosso bairro e que tudo que for oferecido seja o melhor para todos, pois todos precisamos”.

Sonho – Para Maria Lúcia da Silva, segunda moradora visitada nesta sexta, o projeto “Meu Endereço” é a possibilidade de realizar o sonho de ter a casa dela reformada. Com a saúde debilitada, Dona Lúcia, de 63 anos, precisa da ajuda da filha para se movimentar pela casa, que está com o piso de madeira cedendo, com tábuas soltas e deterioradas, paredes e telhado em péssimas condições. São dois compartimentos em madeira, uma pequena cozinha e banheiro em alvenaria, construídos com a ajuda dos filhos. Ela estudou apenas até a segunda séria do ensino fundamental, nunca casou e teve oito filhos.
Moram com a Dona Lúcia dois filhos e uma neta. Todos estão desempregados e a renda familiar se resume à Bolsa Família e à venda de cosméticos feita pela filha. Ela conta que também se cadastrou no “Cheque Moradia” há cinco anos, mas não ainda não foi contemplada.

Quando tomou conhecimento do projeto, Dona Lúcia pediu à filha para ir fazer o cadastro porque está com problemas na visão e já não consegue se locomover sozinha. “É a primeira vez que recebemos a visita do governo para ver a nossa situação. Espero que tudo dê certo e eu consiga realizar esse sonho”, finaliza.

Acompanhamento – O projeto “Meu Endereço” irá visitar na Cabanagem cerca de 100 famílias que fizeram o cadastro no ano passado durante as ações denominadas “Quintas da Cidadania”. Todas terão acompanhamento técnico e tecnológico no processo de regularização fundiária e receberão o kit “Meu Endereço”, composto de todos os documentos necessários para dar entrada na regularização.
“Nós encaminharemos as famílias aos órgãos responsáveis pela regularização e aos programas sociais, como o ‘Cheque Moradia’”, informa Renato. Ele ressalta que a Companhia de Habitação do Pará (Cohab), responsável pelo “Cheque Moradia”, é um dos órgãos parceiros da Sectet no desenvolvimento do “Meu Endereço”.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom Sectet)

Categorias: Notícias

Experiência da Brazil Conference estará na programação da Fecti 2020

Sectet - qui, 16/01/2020 - 16:31
16/01/2020

O estudante da Universidade Federal do Pará, Melquisedec Negrão, foi escolhido como Embaixador da Brazil Conference 2020 e representará a Região Norte e o Brasil na Universidade de Harvard e no Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Boston, EUA. A experiência do estudante com o evento internacional estará na programação da Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti) 2020, que será realizada em novembro pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet).

Em reunião na Sectet, no dia 23 de dezembro/2019, Melquisedec Negrão conversou com o diretor de Ciência e Tecnologia, Demethrius Lucena, que o convidou para compartilhar seu aprendizado durante a Fecti. “Este ano pretendemos fazer da feira estadual um evento internacional. Será a Feira Pan-Amazônica de Ciência, Tecnologia e Inovação. E a experiência de Melquisedec vai ser muito importante como motivador e referência para outros jovens”, disse o diretor. Ele adianta que a ideia é realizar uma Brazil Conferece regional como parte da programação da feira que será realizada em novembro.

Debate - A Brazil Conference at Harvard & MIT é um evento anual no mês de abril, organizado pela comunidade brasileira de estudantes na região de Boston, desde 2015. Realizado nas duas universidades que dão nome à conferência, tem como objetivo promover o debate entre líderes e representantes da diversidade nacional e internacional, sobre os mais variados temas envolvendo o país. 

Melquisedec, estudante de Engenharia de Bioprocessos/UFPA, também é Embaixador da Juventude pelas Nações Unidas. “Como Embaixador pela Região Norte, tenho a missão de apresentar uma Amazônia que está trabalhando na construção de uma bioeconomia sólida, em sinergia com o desenvolvimento social, econômico e sustentável”, disse o estudante.  Ele acrescenta que, como paraense, quer comunicar que o estado do Pará “está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e compartilhar as inovações fomentadas pela Sectet, como o Startup Pará, Conecta Pará e os fóruns de tecnologias sociais, por exemplo”, acrescentou.

“Pretendemos buscar apoio da Universidade de Havard e do MIT para capacitação de professores e estudantes das escolas tecnológicas do estado. Nossa intenção é proporcionar aos paraenses o acesso a cursos das universidades americanas e japonesas, buscando apoio da Agência de Cooperação Internacional do Japão – JICA”, enfatiza o diretor da Sectet.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet), com informações da DCT/Sectet e da equipe da Brazil Conference

 

Categorias: Notícias

Sectet e TerPaz realizam curso de cuidador de idoso no Jurunas

Sectet - qui, 16/01/2020 - 14:09
16/01/2020

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) dá início ao oferecimento de cursos dentro das atividades da secretaria em 2020 no programa Territórios Pela Paz, do Governo do Estado. O primeiro deste ano será o curso de “Cuidador de Idoso”, no bairro do Jurunas. As inscrições podem ser feitas dias 20 e 21/01, na escola Camilo Salgado, das 8h às 12h.

O curso será realizado de 27/01 a 25/03, com carga horária de 160 horas. As aulas serão realizadas também na escola Camilo Salgado, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h. Para se inscrever é preciso ter idade mínima de 18 anos e ensino fundamental completo. Os documentos necessários são: originais e cópias do RG, do CPF e do comprovante de residência.

O curso será ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), contratado pela Sectet para realizar os cursos ofertados dentro do TerPaz. “Iniciamos o ano de 2020 pelo Jurunas, mas já estamos elaborando a programação para os demais territórios. Fiquem atentos à nossa divulgação”, anuncia o Coordenador de Formação Inicial e Continuada (FIC) da Sectet, Charles Souza.

Serviço:
Curso Cuidador de Idoso
Período: 27/01 a 25/03/2020
Local: EEEFM Camilo Salgado (Avenida Roberto Camelier, 823)
Hora: 8h às 12h
Inscrições: na escola, das 8h às 12h, dias 20 e 21/01.
Pré-requisitos: 18 anos de idade, ensino fundamental completo, RG, CPF e comprovante de residência (originais e cópias dos documentos)

Categorias: Notícias

Forma Pará: oportunidade de formação superior no interior do estado

Sectet - seg, 13/01/2020 - 15:22
13/01/2020

“Minha mãe, para cursar o ensino superior, saía às quatro horas da manhã num pau de arara para estudar em Castanhal”, recordou o prefeito de Curuçá, Jefferson Ferreira de Miranda, Tarrafa, na manhã desta segunda-feira (13), no Teatro Waldemar Henrique, em Belém, durante a solenidade de lançamento do edital do projeto Forma Pará/2020, desenvolvido pelo governo do Pará por meio da Secretaria de Estado Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet).

A história narrada pelo prefeito Tarrafa retrata centenas de outras histórias de estudantes paraenses. E as dificuldades enfrentadas por estes estudantes são o que impede outros milhares de jovens de alcançar a formação superior.  Referindo-se à história contada pelo prefeito, o governador do estado, Helder Barbalho, ressaltou as peculiaridades geográficas e sociais de várias regiões do Pará que acabam por dificultar a saída de jovens dos municípios para outras cidades onde há a oferta de cursos de nível superior.

“Estas são as realidades do nosso estado e nós não devamos medir esforços para fazer com que cada cidade deste estado possa ter acesso ao ensino superior. Nós temos por obrigação dar oportunidade para as pessoas”, disse o governador. Ele destacou ainda que a definição da profissão deve ser uma questão de escolha e “não de uma indução fruto da única oportunidade, por falta de alternativas, que por ventura o mundo e a vida proporcionem”, enfatizou.

O secretário Calos Maneschy ressaltou a importância estratégica do governador ao incluir em seu programa de gestão o compromisso com a educação. “Esse compromisso agora está sendo alargado, tornando possível que vários estudantes possam ter a oportunidade ímpar de estudar o ensino superior, fazendo que cursos das universidades cheguem naqueles lugares onde o ensino superior público e gratuito não era ofertado”.

O prefeito Tarrafa, em nome dos demais prefeitos e representantes de municípios, agradeceu a oportunidade “de podermos, no quintal da nossa casa, proporcionar aos jovens de hoje estar cursando o ensino superior”.

Edital 2020 – O segundo edital do projeto Forma Pará oferta 350 vagas em sete turmas, distribuídas em seis municípios e o distrito de Mosqueiro, em Belém. Os cursos são ofertados em parceria entre o governo do estado, por meio da Sectet, a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), a Universidade do Estado do Pará (Uepa) e as prefeituras de Bagre, Curuçá, Goianésia, Mocajuba, Ourém e Ulianópolis.

O reitor da Uepa, Rubens Cardoso, destacou o déficit de vagas de nível superior no estado ao informar que para cada quatro alunos que ingressam na universidade estadual, 96 ficam de fora. “Essa ação do Forma Pará fez, num curso espaço de tempo, a Universidade do Estado Pará ampliar em 10% suas vagas. Isso é um ganho fabuloso para a população”, festejou o reitor.

Além do déficit de vagas, o reitor da Ufra, Marcel Botelho, ressaltou a evasão de estudantes nos 63 campi da instituição distribuídos pelo estado. Ele enfatizou a qualidade da educação oferecida, em cursos de destaque nacional. “Ainda assim, temos uma grande evasão causada não pela falta de qualidade, mas pela falta de condições do nosso aluno estudar nesses campi. Expandir as vagas por meio do Forma Pará é essencial, pois nos permite estar presentes onde o nosso estudante está, de onde ele não tem condições de sair para ir aos nossos campi”, disse o reitor.  

Forma Pará – É um projeto desenvolvido pelo governo do estado por meio da Sectet, em parceria com Instituições Públicas de Ensino Superior, prefeituras municipais e organizações da sociedade civil. O objetivo é dar oportunidade de acesso ao nível superior de ensino aos moradores de municípios onde não há campi de universidades públicas ou onde não haja os cursos ofertados pelo projeto.

O projeto foi lançado em 2019, quando foram ofertadas no primeiro edital 1.000 vagas em 20 turmas em 15 municípios e o distrito Mosqueiro. A meta é ofertar pelo menos 4.000 vagas até 2022, alcançando 40 municípios.

No edital assinado na manhã desta segunda-feira (13) são ofertadas turmas de 50 alunos nos seguintes cursos: Agronomina/Ufra em Goianésia, Mocajuba, Ourém e Ulianópolis; Enfermagem/Uepa em Curuçá; Licenciatura Plena em Ciências Naturais/Uepa em Bagre; e Tecnologia de Alimentos/Uepa em Mosqueiro/Belém.

Está previsto para março o lançamento do terceiro edital do projeto com oferta de oito turmas de 50 alunos nos cursos: Agronomia/UFPA em Novo Repartimento; Direito/UFPA em Altamira; Engenharia Civil/UFPA em Ponta de Pedras; Gastronomia/Uepa em Icoaraci/Belém e Salinópolis; Geografia/UFPA em Muaná; Música/UFPA em Ponta de Pedras; e Serviço Social/UFPA em Viseu.

Texto: Jeniffer galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom/Secxtet)

Categorias: Notícias

Projeto Meu Endereço debate planejamento urbano com moradores da RMB

Sectet - sex, 10/01/2020 - 11:19
10/01/2020

A Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA) apresentou nesta quarta-feira, 8 de janeiro, no gabinete do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica do Estado Pará, Carlos Maneschy, os resultados dos trabalhos realizados pelas equipes interdisciplinares do Projeto meu endereço: lugar de paz e segurança social, que mobilizaram 1.277 moradores para debater a cultura da paz, a função social da cidade e o planejamento urbano na Região Metropolitana de Belém (RMB).

Os dados sistematizados estão relacionados aos últimos seis meses de 2019, desde que iniciou a parceria com o Programa Territórios pela Paz (TerPaz) do Governo do Estado do Pará.  Participaram da reunião Marlene Alvino, André Montenegro e Renato das Neves, ambos gestores da CRF-UFPA, além da presença de Edivandro Carlos do Vale, Gerente de Gabinete da Sectet.

As informações foram apresentadas por Myrian Cardoso, professora da Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFPA e coordenadora do Projeto Meu Endereço. Ela resgatou  que o propósito da parceria com a Secretária de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet),  foi o  de compartilhar conhecimentos interdisciplinares a partir da articulação de inovação tecnológica, assistência técnica e inclusão social para reduzir os índices de conflitos socioambientais urbanos nos territórios de pacificação envolvendo os bairros da Cabanagem, Guamá, Jurunas, Terra Firme e Benguí, em Belém; Icuí, em Ananindeua, e Nova União, em Marituba.  

Ação Pública - O balanço foi estruturado em sete eixos de ações públicas realizadas nos territórios, ou seja, reunião prévia com mais de 61 lideranças comunitárias, a apresentação do Projeto Meu Endereço para 564 moradores e o agendamento de atendimento sobre as demandas de regularização fundiária e cheque moradia para a comunidade.

Com a presença de 502 moradores, em sua ampla maioria formada por mulheres, além da promoção 64 entrevistas para selecionar 24 candidatos aprovados para trabalhar como agentes de cadastramento junto às comunidades nos sete territórios. As ações das Quintas da Cidadania acolheram demandas comunitárias.

Nos seis meses de trabalho, segundo Myrian Cardoso, o relatório apresentado ressalta quatro tipos de demandas territoriais: 173 melhorias habitacionais; 239   reivindicações de direitos para garantir o acesso à cidade; 77 solicitações de acesso a recursos, benefícios urbanos e a regularização administrativa do endereço certo.  Foram solicitadas 11 mediações de conflitos nos territórios.

Estes dados revelam a importância da parceria com a Sectet e o mostram como o Projeto Meu endereço, por meio da assistência técnica em engenharia e arquitetura, é uma ferramenta para reduzir os índices de violência urbana decorrentes dos conflitos socioambientais, fundiários e vicinais nos sete bairros.

Diálogo – Durante a reunião, a presidente da CRF-UFPA, Marlene Alvino, enfatizou a importância da participação da comunidade nas decisões e no debate sobre o planejamento urbano dos territórios.  O atendimento comunitário alcançou 498 demandas das famílias nos sete bairros e busca construir uma convivência urbana digna e ecologicamente equilibrada junto com um Estado promotor do desenvolvimento. 

As equipes da CRF-UFPA que atuam no projeto são formadas por engenheiros, arquitetos, urbanistas, administradores, assistente sociais, advogados, jornalistas e especialistas em tecnologia da informação, além de estagiários de diversas áreas educacionais, esclareceu Marlene.

Para o secretário Carlos Maneschy o Projeto meu endereço não é um evento temporário, que começa de manhã e termina de tarde. Os dados apresentados confirmam o trabalho planejado e o volume de atendimento comunitário é significativo, pois trabalha com os direitos da cidadania e leva segurança jurídica e social para as famílias.

“É uma política pública que repercute permanente e se interliga com outras ações do Estado para chegar até a casa dos moradores. O Projeto está conectada com as áreas da cultura, emprego, saneamento, saúde, educação e a qualificação profissional para o combater a violência urbana nos territórios. Além disso, buscamos ampliar as parcerias com os segmentos públicos e privados do Pará visando fortalecer a cultura da paz, interiorizar o desenvolvimento e consolidar uma rede permanente de assistência técnica em todo o Pará”, asseverou o secretário.

Texto e fotos: Kid Reis – Ascom CRF/UFPA

Categorias: Notícias

Projeto Forma Pará lança edital para preenchimento de 350 vagas de curso superior em sete municípios

Sectet - qui, 09/01/2020 - 14:50
09/01/2020

O governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), lança na próxima segunda-feira (13) o edital do Processo Seletivo Especial (PSE) para o preenchimento de 350 vagas em sete turmas de cursos de nível superior ofertados pelo Projeto Forma Pará. Novo edital está previsto para março, quando serão ofertadas mais oito turmas.

Em 2019, quando o projeto foi lançado, foram ofertadas 1.000 vagas em 20 turmas distribuídas por 16 municípios. Este ano serão alcançados pelo menos mais sete municípios que ainda não haviam sido atendidos, além de novos cursos em municípios já contemplados. A meta é chegar a 40 municípios até 2022, com a oferta de 80 turmas, chegando a um total de 4 mil novos profissionais de nível superior formados pelo projeto.

No edital publicado neste mês de janeiro, os cursos do Forma Pará serão ofertados pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) e pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) em sete municípios: Bagre (Licenciatura Plena em Ciências Naturais/Uepa), Curuçá (Enfermagem/Uepa), Goianésia (Agronomia/Ufra), Mocajuba (Agronomia/Ufra), Belém/Mosqueiro (Engenharia de Alimentos/Uepa), Ourém (Agronomia/Ufra) e Ulianópolis (Agronomia/Ufra).

Cada turma oferece 50 vagas e a prova do PSE será realizada simultaneamente em todos os municípios beneficiados. O lançamento dos editais será realizado no o dia 13/01/2020, de 9h às 14h, no Teatro Waldemar Henrique, localizado na Avenida Presidente Vargas, 645, Praça da República.

A solenidade terá a presença de autoridades do governo do estado, representantes das instituições de ensino superior, professores e estudantes. A programação é aberta ao público.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Setet)

Categorias: Notícias

Ainda em janeiro Estado divulgará edital de seleção do 'Startup Pará'

Sectet - qua, 08/01/2020 - 17:45
08/01/2020

Serão cerca de R$ 3,5 milhões em investimentos em 20 projetos de novos empreendimentos e atividades já com resultados no mercado

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) deve divulgar, até 31 de janeiro, o edital de seleção do Programa Startup Pará, iniciativa para promover criação e desenvolvimento de atividades inovadoras em diversas áreas. Pela política pública, coordenada ainda pela Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) e pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), o Estado investirá cerca de R$ 3,5 milhões na seleção de até 20 projetos.

Na fase inicial, serão acolhidas 15 propostas, em fase de pesquisa, na modalidade “Novos Negócios”, que contempla a abertura de empreendimentos inovadores em fase pré-operacional, e 15 na modalidade “Aceleração”, voltada para atividades promissoras já existentes no mercado.

As iniciativas selecionadas terão capacitação, mentoria e acompanhamento do negócio, promovidas por uma empresa aceleradora, de atuação nacional, que também será escolhida por meio de edital. Após essa etapa, um comitê avaliador, formado por profissionais e técnicos do mercado indicados pela aceleradora, vão escolher 10 propostas de cada modalidade para assinatura de contrato e investimento financeiro.

Apresentação pública - As propostas em “Novos negócios” podem receber até R$ 80 mil por projeto, enquanto a modalidade “Aceleração” oferece até R$ 200 mil para cada iniciativa selecionada. O titular da Sectet, Carlos Maneschy, antecipa que a apresentação dos 20 projetos deve ocorrer em um evento público, uma espécie de feira de inovação, com a presença de investidores convidados de todo o Brasil, em data e local a serem definidos.

"Serão duas etapas, que durarão cerca de um mês e meio cada uma, e de uma para outra o total de projetos selecionados será de, no máximo, 20. A ideia é estimular, por exemplo, o interesse dos 'investidores-anjos', que não são necessariamente sócios, mas que investem para ver o negócio deslanchar. Seria algo inédito do Estado", explica o secretário. "A gente espera e trabalha pelo efeito multiplicador, por um Estado com ambiente amigável para novos negócios, um hub, um ponto de convergência de vários investidores", reitera Carlos Maneschy.

Ainda de acordo com o secretário, embora os valores máximos por projeto selecionado estejam definidos, somente após a aprovação dos planos de negócios será possível determinar o tempo de execução de cada um. "Admitimos que há riscos, já que se trata de inovação. Não tem como dizer o que é que pode dar certo ou não - e aí entra a aceleradora, para delimitar critérios de confiabilidade. Vejo o Starup Pará com vocação ao sucesso, porque essa demanda existe, há pessoas precisando desse apoio, e é isso o que o Governo do Estado quer garantir", reforça o titular da Sectet.

Texto: Carol Menezes (Secom)
Foto: Adivaldo Siqueira (Secom)

Categorias: Notícias

Prodepa amplia ações tecnológicas e interligará 80% dos municípios paraenses em 2020

Prodepa - ter, 07/01/2020 - 15:53
07/01/2020 - 15:45

 

Atualmente 88 municípios paraenses estão interligados à Rede de Telecomunicações do Estado. Mais 21 serão incluídos até o final deste ano, totalizando 109 municípios, o que representa cerca de 76% dos 144 municípios paraenses interligados.

Durante o ano de 2019, a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) realizou várias ações compreendendo as transformações das demandas tecnológicas e serviços. “Estarmos sempre prontos e à frente para nos mantermos como um importante instrumento de desenvolvimento do Estado do Pará em benefício de toda a sociedade”, destacou o presidente da empresa, Marcos Brandão da Costa.

Aplicativos foram desenvolvidos sempre buscando a maior rapidez nas informações e no auxílio às demandas da população. Em abril e Prodepa lançou o “Navega Aqui” para auxiliar na travessia de embarcações na Alça Viária e a população usuária das balsas que trafegam na região após queda de parte da ponte do Rio Moju.

O aplicativo “KDaBerlinda” foi reformulado em 2019. Ele auxilia a população na localização das 12 romarias realizadas durante a quadra nazarena (Círio de Nazaré). “Esse ano o número de usuários do aplicativo cresceu 176% e o quantidade de dowloads nas lojas IOS e Android aumentou 70%. A quantidade de visualizações na página do aplicativo subiu 43%”, diz o presidente da Prodepa.

Vários projetos foram firmados e outros continuados para aumentar interligação à rede de dados mundial. “O governo do Estado, através da Prodepa, solicitou à Corporação Andina de Fomento (CAF) empréstimo na ordem de US$ 12,5 milhões para investimentos ao longo de 2 anos em benefício a 15 novos municípios nas regiões sudeste, Baixo Amazonas e Nordeste paraense”, destaca Brandão.

O Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), contrapartida à construção da usina de Belo Monte, entrará esse ano na sua segunda fase. Em 2017 a Prodepa recebeu R$ 10 mi para investimentos em infovias, redes metropolitanas e redes ópticas na região do Xingu.

Na primeira fase do projeto em 2018 foram beneficiados os municípios de Anapu, Brasil Novo, Medicilândia. Vitória do Xingu, Placas e Senador José Porfírio. Na segunda fase serão beneficiados os municípios de Porto de Moz e Gurupá. Na terceira etapa os benefícios chegarão ao município de São Félix do Xingu, na área de influência do Rio Xingu.

Por conta da desoneração feita pelo Estado do Pará para beneficiar a construção do linhão de transmissão de Manaus/Macapá/Oriximiná, a Prodepa receberá compensações para a ativação da rota de fibras ópticas que vai interligar os municípios de Tucuruí/Anapu/Almeirim/Oriximiná. É o chamado projeto Isolux que também terá andamento durante todo esse ano.

“Através de acordos de cooperação técnica firmados com o Banpará, a Prodepa irá beneficiar nos 4 primeiros meses deste ano os municípios de Muaná, Alenquer, Curralinho, Almeirim e Floresta do Araguaia com melhorias e ampliação na rede”, diz Marcos Brandão.

 

Categorias: Notícias

Prodepa e EGPA debatem implementação da LGPD

Prodepa - qui, 02/01/2020 - 15:59
02/01/2020 - 16:00

 

A partir de agosto deste ano todos os órgãos do Estado terão que se adequar para o cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que marcará um momento importante para o país, que passará a tratar dados pessoais com mais transparência, prometendo ao cidadão melhor controle de suas informações, assim como já acontece na Europa.

A Lei 13709/2018 tem como maior objetivo é “proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural”. A LGPD se aplica a empresas dos setores público e privado que tratam de dados pessoais direta ou indiretamente, incluindo meios digitais.

A Prodepa e a Escola de Governo (EGPA) reuniram no final do ano passado para debaterem as diretrizes principais da nova Lei e fechar um convênio para treinamento e consultoria na área. A Prodepa irá capacitar os integrantes da EGPA que, por sua vez, servirá de multiplicadora por toda a administração pública.

 

Categorias: Notícias

Chegam os equipamentos para a infovia da Calha Norte

Prodepa - sex, 27/12/2019 - 12:46
27/12/2019 - 12:45

 

A Prodepa acaba de receber da China os mais modernos equipamentos fabricados pela HUAWEI adquiridos pela empresa e pelo Exército Brasileiro, esse ano, para instalação na fibra óptica disponibilizada no Linhão da Isolux, totalizando 940 Km de infovia na calha Norte.

A Prodepa poderá atender com internet em banda larga de qualidade, já no primeiro semestre de 2020, as cidades de Alenquer, Oriximiná e Monte Alegre e, logo em seguida, deslocar as equipes técnicas para implantação das infovias em Almerim, Juruti, Prainha, Terra Santa, Faro e Óbidos.

Em breve disponibilizaremos o cronograma das atividades técnicas para que todos os órgãos possam se programar para utilizar a rede da Prodepa de acordo com sua expansão nesta Região.

A infovia da Calha Norte estará também se conectando até Macapá com investimentos da Prodap do Amapá que também integra o projeto.

 

Categorias: Notícias

Parceria entre governo e Jica dissemina boas práticas de gestão no estado

Sectet - sex, 20/12/2019 - 11:43
20/12/2019

A parceria entre o Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Planejamento e Administração (Seplad), e a Japan International Cooperation Agency (Jica) tem como desdobramento a disseminação das boas práticas de gestão por meio de encontros, seminários e palestras com a participação dos servidores que passaram pelo treinamento oferecido pela agência japonesa em seu país de origem.

Na última quarta-feira (18), o diretor de Ciência e Tecnologia (DCT) da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Demethrius Lucena, ministrou palestra para concluintes do curso Empretec , promovido pelo Sebrae no Pará. Deméthrius fez o curso “Desenvolvimento industrial regional considerando recursos locais”, no Japão, no período de 31/08/2019 a 03/10/2019.

Na palestra “Empreendedorismo no serviço público”, o diretor da Sectet abordou temas que valorizam os servidores públicos assim como, estratégias de planejamento inovadoras. "Trouxemos as estratégias aprendidas durante o curso no Japão para complementar os conhecimentos dos participantes. São ferramentas que já estão sendo utilizadas na execução das ações da nossa diretoria na Sectet”, relata Demethrius. Ele destaca ainda que “investir no profissionalismo e respeito aos servidores públicos deve ser o principal pilar da gestão pública 4.0”.

Parceria – Por meio da parceria do governo do estado com a Jica, outra servidora da Sectet foi fazer treinamento no Japão. Tânia dos Santos Santana, da Diretoria de Educação Profissional e Tecnológica (Detec) participou do curso “Melhoramento da gestão de formação em instituições de educação profissional”, realizado de 28/10/2019 a 29/11/2019.

Para que pudessem participar dos treinamentos, Demethrius Lucena e Tânia Santana passaram por processos seletivos que atenderam a critérios estabelecidos pela própria Jica. A Seplad foi a encarregada de receber os documentos dos interessados pelo estado do Pará e encaminhá-los à agência japonesa, responsável pela seleção nacional dos candidatos e divulgação do resultado final.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Governo lança o Startup Pará e anuncia aumento de investimento em ciência e tecnologia

Sectet - qui, 19/12/2019 - 15:44
19/12/2019

Além do investimento em startups do estado, o governador anunciou a destinação de 20% dos royalties para a ciência e tecnologia em proposta que será enviada à Alepa no início do ano

Expresso em seu slogan, fazer do estado um “Destino amigável para o empreendedorismo de base tecnológica” é o fundamento norteador do Programa Startup Pará, lançado na manhã desta quinta-feira (19), no Teatro Estação Gasômetro. O instrumento de criação do programa foi assinado pelo governador do Pará, Helder Barbalho, e pelo titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, também presidente da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), órgãos do governo que, junto com a Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), irão desenvolver o Startup Pará.

Em sintonia com o slogan do programa, o governador Helder Barbalho ressaltou que uma das diretrizes do seu plano de governo é promover ações, criar políticas públicas que oportunizem a transformação do talento dos paraenses em empreendimentos reais que impulsionem o desenvolvimento econômico e social do estado.

O governador destacou ainda que um dos compromissos de sua gestão é criar ferramentas para “transformar o Pará num ambiente de produção de conhecimento, ciência e inovação que se utilize da nossa biodiversidade extraordinária que nos coloca no centro do olhar do planeta”. Helder Barbalho aproveitou o momento para anunciar que em janeiro enviará à Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) uma proposta para a destinação de 20% dos royalties da mineração arrecadados pelo estado para investimentos em ciência e tecnologia.

O programa – Para uma plateia formada por secretários estaduais, representantes de órgãos do governo e de instituições de ensino e pesquisa, além de empresários e empreendedores, o secretário Carlos Maneschy apresentou as linhas gerais do Startup Pará. Ele definiu o programa como um marco na área de ciência e tecnologia não só do estado, como de toda a região.

“É um programa singular tanto na proposta de execução quanto no volume de recursos, Com certeza, inédito na região”, disse o secretário. Maneschy enfatizou que o programa visa transformar uma realidade em que o estado ainda apresenta pouca distribuição de renda, mesmo tendo imensas riquezas naturais, biodiversidade incomparável e grande potencial econômico.

“Há várias maneiras de mudar essa realidade. Com investimento em tecnologia e inovação é absolutamente possível transformar o nosso estado, inaugurando um novo tempo, com muitas venturas para todos nós”, declarou.

Modalidades – O programa prevê a seleção de inciativas empreendedoras em duas modalidades: “Novos Negócios”, projetos que ainda estejam em fase inicial, voltados à criação e implementação de soluções de base tecnológica; e “Aceleração”, startups já em funcionamento e que precisam de estímulo para se firmar no mercado.

Num primeiro momento serão selecionados 15 projetos de cada modalidade que passarão por um período de capacitação de aproximadamente um mês. Em seguida, um comitê avaliador, formado por especialistas, técnicos do mercado e gestores públicos, selecionará 10 projetos de “Novos Negócios” e outros dez em “Aceleração”. Os selecionados farão uma apresentação pública de seus projetos num evento chamado “Demoday”, previsto para acontecer no dia 23/05/2020, quando serão assinados os contratos para o investimento de até R$ 80 mil para cada projeto dos “Novos Negócios” e de até R$ 200 mil para os selecionados na modalidade “Aceleração”, totalizando um investimento de cerca de R$ 3 milhões.

Inscrições - O período de inscrição de projetos será de 02/01/2020 a 10/02/2020 no site específico do programa que está em fase de finalização. Uma intensa campanha será realizada para divulgar o site e as etapas do Startup Pará dando oportunidade para que todos os interessados possam concorrer.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Transformação Digital: grupo integrado pela Prodepa é finalista em premiação internacional

Prodepa - qua, 18/12/2019 - 14:11
18/12/2019 - 14:00

 

O Grupo de Transformação Digital dos Estados e do Distrito Federal (GTD.Gov), do qual a Prodepa participa de forma efetiva, é finalista do prêmio Global Public Service - Team of The Year, promovido pela Apolitical, do Reino Unido, uma das maiores instituições de apoio a governos no mundo. A premiação é mais importante para equipes que trabalham com inovação no setor público e o grupo concorre a Time do Ano na categoria Digitalização de Serviços Públicos.

O GT é uma das nove iniciativas escolhida em vários países que podem vencer, por meio de votação popular, do prêmio e o único da América Latina a concorrer à premiação. A votação encerra no próximo dia 5 de janeiro e pode ser feita no endereço https://apolitical.co/digitising-public-services-award-2019/. O resultado será divulgado no final de janeiro.

O grupo é nacional e foi formado em maio desse ano, idealizado pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (ABEP) e pelo Conselho Nacional de Secretários de Estado de Administração (CONSAD).

Reúne técnicos e gestores de 20 governos estaduais e distrital, formado por 44 colaboradores entre especialistas em tecnologia dos governos estaduais e os seus integrantes que estudam, compartilham conhecimentos e desenvolvem soluções inovadoras para o processo de Transformação Digital pelo qual a administração pública do país vem passando.

Trabalhando de forma voluntária o GTD.Gov busca, com o apoio dos Estados e do governo federal a desenvolverem seus projetos a partir de uma lógica de transformação digital dos serviços públicos disponíveis em suas plataformas, ampliando o acesso do serviço ao cidadão, com redução de custos para governos e para o cidadão.

Gustavo Costa, diretor de Desenvolvimento de Sistemas da Prodepa e representante da empresa paraense no grupo diz que a iniciativa, que passou pelo crivo de jurados em nível internacional da Apolitical, concorreu com centenas de outros projetos do mundo todo. “O prêmio reconhece o trabalho de equipes que têm feito a diferença, por meio de soluções inovadoras, no serviço público”, destaca.

 

A meta é economizar no gasto público e facilitar a vida do cidadão

 

Facilitar a vida do cidadão e economizar recursos públicos é uma das metas principais que são trabalhadas no grupo e isso vem se refletindo nas ações da Prodepa. “A meta é lançar ano que vem um portal único de serviços do Estado, onde o contribuinte possa pagar impostos estaduais, agendar a retirada de documentos, registrar boletins de ocorrência e até fazer denúncias, mudando completamente o conceito existente hoje”, diz Gustavo Costa.

O GTD.Gov debate várias iniciativas de transformação digital existentes hoje nos países mais desenvolvidos do mundo. Um a das metas da atual administração é reduzir gradativamente a utilização e papel nos processos a nível estadual. Para tanto vem investindo maciçamente no Processo Administrativo Eletrônico (PAE), sistema desenvolvido pela Prodepa com o apoio da Secretaria de Estado de Administração (Sead).

O PAE é uma ferramenta para criação, gerenciamento e tramitação de documentos eletrônicos que atende aos órgãos do Pará. Gustavo explica que o sistema foi totalmente pensado em consonância com o futuro, sem a necessidade de utilização de papel ou outros insumos.

“Todos os seus processos funcionam de forma digital, segura, rápida e eficiente. Já estamos desenvolvendo o PAE4.0, que deve estar finalizado nos primeiros meses de 2020 para ser implementado gradativamente na administração estadual, diminuindo e até extinguindo a utilização de papel. É uma iniciativa importante sob o ponto de vista da transformação digital”, coloca.

 

Categorias: Notícias

Governo lança programa de incentivo a iniciativas empreendedoras e inovadoras

Sectet - qua, 18/12/2019 - 12:39
18/12/2019

O governo do estado lança nesta quinta-feira (19) o Programa Startup Pará, uma estratégia estadual para o incentivo ao empreendedorismo tecnológico. O lançamento do programa será realizado no Teatro Estação Gasômetro, às 9h, com a presença do governador Helder Barbalho. O Startup Pará é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) e Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).

“As startups são as grandes novidades do modelo de desenvolvimento que vivemos hoje. Partem de ideias inovadoras e empreendedoras para mudar uma realidade e promover negócios utilizando as novas tecnologias. Com este programa, o governo vai incentivar o empreendedorismo e a inovação que são caraterísticas da nossa população”, ressalta o titular da Sectet e presidente da Fapespa, Carlos Maneschy.

Editais – Está prevista para a primeira quinzena de janeiro/2020 a publicação dos editais que irão selecionar iniciativas novas e startups já consolidadas que receberão aporte financeiro, apoio técnico e acompanhamento para que se fortaleçam no mercado.

Na modalidade ‘Novos Negócios’, serão selecionados 20 projetos e na modalidade ‘Aceleração’, dez startups que já se encontrem em andamento e com possibilidade promissora no mercado. As iniciativas selecionadas terão, além do investimento financeiro, capacitação, mentoria e acompanhamento do negócio.

O Startup Pará já está desenvolvendo o ‘Ecossistema Pará’, uma base de dados que irá mapear as empresas de base tecnológica, startups e incubadoras, fomentando a circulação de informações ente elas para criar uma rede de desenvolvimento do empreendedorismo tecnológico.

Serviço
Lançamento do Programa Startup Pará
Local: Teatro Estação Gasômetro
Dia: 19/12/2019
Hora: 9h

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Páginas